segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Os livros dentro dos filmes


Uma das coisas mais legais de filmes, séries de tv, etc, é quando eles citam outras referências culturais. Tá, exagerei, provavelmente não é uma das coisas maaaais legais. Mas não é divertido ver os personagens de um filme que você gosta citando uma música legal, ou vendo um filme que você gosta, ou, como vou mostrar aqui, lendo um livro que parece legal?

Bom, não sei você, mas eu sou totalmente influenciável por essas referências dentro dos filmes/séries, e fiz aqui esse post pra falar um pouco dos livros em destaque dentro de filmes e séries muito legais. Olha aí:

Jane Eyre, em Três Vezes Amor


O filme em questão é Três Vezes Amor, sobre o qual eu já falei aqui. E esse é o exemplo mais bonito, eu acho, de uma história com um livro infiltrado num filme. É assim: o Will (Ryan Reynolds) vai um dia na casa da April (Isla Fisher) e vê uma prateleira lotada com edições diferentes do mesmo livro: Jane Eyre, de Charlotte Brontë. Ela explica que ganhou o livro de presente do pai com uma linda dedicatória, aos 13 anos, e não gostou muito (ela queria ter ganhado uma joia). Pouco tempo depois, o pai dela morreu, a família se mudou e o livro se perdeu. Desde então, ela entrava em todos os sebos que encontrava pra procurar o livro, e comprava aqueles que tinham dedicatórias legais. Eu não vou contar o desfecho, mas sério, é muito, muito bonito. Um dos pontos altos do filme :)



Sobre o livro: Jane Eyre é um romance escrito por Charlotte Brontë e publicado em 1847. Conta a história de Jane, órfã de pai e mãe que vive infeliz em casa da tia que a detesta. Após um confronto com esta, Jane é enviada para uma escola. Após seis anos como aluna e mais dois como professora, decide procurar uma nova posição. Encontra-a em Thornfield Hall, como preceptora da jovem Adèle, a pupila de Edward Rochester (Toby Stephens), por quem Jane acaba se apaixonando. Ele é o dono do casteloThornfield Hall, um lugar que guarda antigos segredos que serão decisivos quando Rochester for se casar com Jane.
O livro é bem grandinho e a história tem váaarias reviravoltas. Mas o foco principal é a emancipação da mulher, capaz, pelo olhar de Charlotte Brontë, de trabalhar e ter uma vida, independentemente de se casarem ou não.






Love Letters of Great Men, em Sex and the City


























Esse caso é bem interessante. Assim como tudo que a personagem Carrie Bradshaw usa no filme, o livro Love Letters of Great Men também foi super procurado, todo mundo queria. Mas, acontece que o livro nem existia de verdade, era fictício. Só existia no contexto do filme, quando Carrie diz que costumava escrever sobre a procura do amor, e agora estava pesquisando (com esse livro) como é depois que você o encontra. E o sucesso foi tanto que alguém resolveu realmente escrever esse livro, que hoje existe mesmo, haha.





Sobre o livro: bom, o título já é meio auto-explicativo, né? Nesse livro estão reunidas cartas românticas de gente muito importante nesse mundo. E gente bem diferente: de Beethoven a Napoleão, de Victor Hugo a Darwin, de Henrique VIII a Oscar Wilde. É legal ver que o amor que cada um deles sentia era diferente também em seu jeito de se transparecer; alguns eram mais ciumentos, outros mais devotados; uns eram eloquentes, outros mais calminhos.
Mesmo se voce não for do tipo romântica incurável, o livro também se torna interessante por mostrar que relações amorosas de séculos atrás às vezes são beeem parecidas com relações atuais. Os sentimentos, pelo menos, parecem dizer a mesma coisa - paixão, esperança, desejo - tá tudo aí. E outra, alguns desses caras aí das cartas são nomes conhecidos em todos os livros de história, literatura, ciências. Eles mudaram o mundo de alguma forma. Não dá uma super curiosidade de saber como eram esses homens em suas vidas pessoais, amorosas? hahaha ;)





On The Road, em Across the Universe


On the Road aparece rapidamente em Across the Universe, mas tem tudo a ver com a temática do filme. Durante um jantar na casa de Lucy e Max, entre papos sobre androgenia e rebeldia, a mãe deles fala sobre as andanças de um tal de Jack Kerouac, que dariam origem a vários livros. O mais famoso deles, On the Road.




Sobre o livro: bom, a história é assim: Sal Paradise é o narrador de 'On the road - pé na estrada'. Ele vive com sua tia em Nova Jersey, Estados Unidos, enquanto tenta escrever um livro. Em Nova Iorque, conhece um andarilho de Denver de personalidade magnética chamado Dean Moriarty. Dean é cinco anos mais novo que Sal, mas compartilha o seu amor por literatura e jazz e a ânsia de correr o mundo. Tornam-se amigos e, juntos, atravessam os Estados Unidos, de New Jersey até a Costa Oeste, deparando-se com os mais variados tipos de pessoas, numa jornada que é tanto uma viagem pelo interior de um país pela Rota 66 quanto uma viagem de auto-conhecimento - de uma geração assim como dos personagens. Unindo ação, emoção, sonho, reflexão e ambiente, Kerouac procurou captar a sonoridade dasruas, das planícies e das estradas americanas, mostrando ao mundo o lado sombrio do sonho americano e criando um livro que transformaria milhares de cabeças, influenciando a arte e o comportamento da juventude na segunda metade do século XX.





O Iluminado e Little Women, em Friends


Claro que a fã obsessiva de Friends não ia deixar passar esse episódio, né (é da 3ª ou 4ª temporada, se não me engano)! Hahah, Rachel acha um livro de Joey no freezer. O livro é O Iluminado, livro preferido dele, que o colocou no freezer porque estava com medo. Rachel propôs então que eles trocassem de leitura; enquanto ela leria O Iluminado, ele leria Adoráveis Mulheres, o livro preferido dela. Os dois se envolvem (e se assustam) em suas leituras, do jeito cômico que só Friends sabe ser.




Sobre o livro: Escrito em 1977, "O Iluminado" continua sendo uma das mais apavorantes histórias de Stephen King. Conta a história de uma familia (Jack, sua mulher e um filho de 9 anos), que vão tomar conta de um hotel de luxo durante o inverno. O garoto tem poderes extra-sensoriais e comunica-se com seu dedo indicador, ao qual ele chama de Tommy. Tommy lhe faz sempre revelacoes do futuro e das pessoas. O pai, Jack, escritor,espera concluir seu romance no 5 meses que ficarão isolados no hotel, e nem liga para a historia que seu contratante lhe conta, de que nos anos 70 ,um servente durante o inverno enlouqueceu ,matou a esposa,as duas filhas com um machado e suicidou-se com um tiro na boca. Logo fatos estranhos comecam a ocorrer bem como nota-se que Jack comeca a perder a razao,o menino aparece com hematomas,Jack tem alucinações com o passado do Hotel…
Vale muito a pena ver o filme também, super conhecido. Eu, que não gosto de filmes de terror, super respeito esse. hahah :O










Sobre o livro: enquanto O Iluminado é um terror/suspense, Little Women (ou Adoráveis Mulheres, título em português) é um drama. Fala da vida de quatro irmãs, Meg, Jo, Beth e Amy, que passam por várias dificuldades por causa da Guerra Civil nos Estados Unidos, que leva o pai delas pro exército e deixa a mãe delas numa situação financeira complicada. Há também o personagem do vizinho rico, que toma maior importância conforme a história vai evoluindo. Como todo drama que se preze, Adoráveis Mulheres também tem um caso de doença na família, só pra fazer todo mundo se comover ainda mais. O livro é de autoria de Louisa May Alcott, é bem famosinho também, e já foi adaptado pra teatro, ópera, cinema..a mais famosa dessas adaptações é o filme de 1994, estrelando ótimas atrizes, como Susan Sarandon, Kristen Durnst, Winona Ryder e Claire Danes. Preparem as lágrimas, esse livro/filme promete te fazer chorar liiitros..






Bom, como esse post tá ficando um pooouco grandinho, decidi continuar a segunda parte dele amanhã. Com direito a 500 Dias Com Ela, Woody Allen e Chico Buarque entre os filmes e livros do citados. Vai perder? :)

2 comentários:

  1. Eu já conhecia Love Letters of Great Men, mas não sabia que tinha surgido por causa do seriado Sex and The City.

    ResponderExcluir
  2. Across the Universe-best movie ever!

    ResponderExcluir