terça-feira, 26 de outubro de 2010

O Girl Power na música

Existem momentos na vida de uma blogueira (que é metódica o bastante para postar todos os dias úteis da semana) em que bate um pequeno desespero, devido ao fato de não ter nenhum post preparado ou mesmo idealizado para o dia em questão. Hoje eu vivi um desses momentos. Mas, eis que, durante uma aula da faculdade tive uma dessas ideias a princípio inviáveis pro blog. Mas né, quem disse que eu só posto coisas viáveis e corretas aqui? hahaha

Meu professor dizia que o entretenimento tem a capacidade de refletir a realidade. Para se ter um exemplo, bastava observar a evolução da mulher nas últimas décadas pela música. Se as The Supremes e outras cantoras dos anos 60 tinham uma relação de submissão em relação aos homens, Madonna já veio mudando tudo isso nos anos 80, e seu girl power foi seguido fielmente por várias outras cantoras desde então, representando a realidade que vivemos hoje.

Então, eu, como mulher orgulhosa da minha geração, que expõe os podres masculinos em ótimas músicas, decidi fazer uma seleção de algumas delas, que tratam de liberdade e superação feminina, além de, claro, falar mal deles também.

Lily Allen


Ela foi citada na aula como uma das maiores representantes das relações atuais de mulheres de 20 e poucos anos desse momento. E realmente, quando se trata de avacalhar os homens em músicas, Lily Allen é profissionalíssima. Desde a ótima Smile, até a mais recente Not Fair (veja a letra e tradução das músicas clicando nos links), Lily esculacha mesmo e mostra todo seu poder feminino de dar um pé na bunda no cara que "não a faz gritar". Certíssima, hahaha.

Alanis Morissette


Alanis é, sem dúvida, a maior representante desse tipo de comportamento dos anos 90. Na aula de hoje (tá, prometo que vou parar de fazer referências à aula, haha), foi dito que ela consegue fazer músicas que estabelecem sentimento de igualdade da mulher perante o homem, de confronto direto - vide All I Really Want. E de um pouquinho de superioridade também, eu acho - vide You Outha Know.

Madonna


(clique aqui pra ver o clipe oficial)

Não dava para não citá-la, né. Símbolo máximo do Girl Power, as letras das músicas da Madonna são especialistas pra falar de sentimentos femininos. E como ela tem mil fases diferentes (como quase toda mulher aliás. não tão intensamente, talvez, mas enfim, você entendeu), os sentimentos expressados nas letras variam muito também. Mas aqui vale a pena destacar o disco Like a Prayer, de 1989, que tem, entre suas melhores representantes, duas músicas bem características do Girl Power: Love Song e a clássica Express Yourself.

Britney


A filosofia de Madonna foi seguida de perto por ela. Afinal, Britney não foi chamada taantas vezes de princesa do pop por acaso. Ela, assim como a rainha, não só também tem várias fases, como também tem ótimas músicas de afirmação feminina. Entre elas, Stronger e Don't Go Knocking On My Door. Britney pode ter sido classificada pela mídia como princesinha. Mas, nas suas letras, ela mostra muito mais força e determinação que o cabelo loiro e as roupinhas do começo da carreira aparentam. ;)

Christina Aguilera


Outra que se destacou na música pop com um visual loiro e inocente, mas provou ser bem mais que isso. Christina Aguilera usa sua voz poderosa pra cantar, entre outras particularidades do coração feminino, sobre a mulher que se torna mais forte depois de um término de relação (em Fighter), sobre a garota que é exigente com seus pretendentes, não aceita pouca porcaria (em Genie in a Bottle) ou simplesmente sobre a mulher que quer se acabar na balada e tirar a roupa por causa do calor (em Dirty). Quer mais liberdade feminina que isso? hahaha

Kelly Clarkson

(clique aqui pra ver o clipe oficial)

Kelly Clarkson é talvez mais conhecida por suas músicas mais românticas, ou de fossa. Mas não se engane, ela também sabe colocar muita raiva em suas letras. Tanto que ela tem uma música chamada Miss Independent, que fala (muito bem) por si só. E essa ainda é uma das primeiras da carreira dela. Depois ainda aparecem músicas como Since You Been Gone e Never Again que não deixam dúvidas: Kelly pode cantar sobre coisas tristes. Mas quando ela está irritada, melhor não mexer. Pode virar uma ótima música ;)

Destiny's Child


Quem lembra desse grupo de três mulheres super talentosas (entre elas a diva Beyoncé) que faziam clipes super coloridos e, hmm, meio toscos? Hahaha, mas fora isso, as Destiny's Child eram mestras em falar sobre relacionamentos e homens em suas letras, haha. Mas tem um ponto recorrente em suas músicas que chama a atenção: a exaltação da independência feminina, presente em Survivor e Independent Women. Acho legal ver como elas conseguem também (talvez até pra ressaltar o fato de que são um grupo) exaltar um sentimento de união entre as mulheres, girl power em sua definição mais exacerbada :)

Pink


O mais legal da Pink é que a pessoa é revoltada. E muitas das letras dela conseguem fazer críticas muito legais e pertinentes, seja a homens que se acham (em So What ela dá um pé nele e vai ser estrela de rock que ela ganha mais. Em U + Ur hand ela manda ele andar e avisa que não está disponível pra diversão dele) ou sobre mulheres que deviam se dar mais ao respeito (em Stupid Girls, ela encoraja mulheres a sonharem com a presidência, e não com um papel de dançarina num clipe do 50 cent). Além disso, os clipes da Pink também são muito bons, porque ela quebra a imagem sempre muito bonita explorada pelas cantoras pop em geral e sempre faz uma coisa zoada, engraçada. Ponto pra ela ;)

Spice Girls

(clique aqui pra ver o clipe oficial)

Não, não me esqueci delas! As Spice Girls não possuem letras que exaltem o feminismo, a superioridade das mulheres. Em compensação, acho que ninguém fez mais músicas sobre união e amizade feminina do que elas. Entre elas, Headlines e a mais famosa, Wannabe, cujo refrão é auto-explicativo disso que eu acabei de falar: If you wanna be my lover, you gotta get with my friends. make it lasr forever, friendship never ends :)



Então, concluindo o post, acho que podemos nos orgulhar da produção feminina na música pop atual. Seja por Madonna, Pink ou Lily Allen, acredito que nós, mulheres, estamos muito bem representadas. Os homens que fiquem espertos, haha. E viva o Girl Power!! :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário