sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Férias: o que fazer?

.
Não sei você, mas para mim, quando chegam as férias, sempre tem uma sensação deliciosa de liberdade, de poder fazer só o que se tem vontade, de não ter que seguir regras e horários do dia-a-dia, enfim, de poder curtir a vida adoidado.

Mas aí, os dias vão passando, e se você não tem nada planejado para poder, efetivamente, curtir as suas férias, começa a dar uma angústia, um desesperozinho não muito legal por estar passando o verão sem ter nada parecido com as propagandas de cerveja e de sorvete, alegres e refrescantes, que a gente vê na tv. E é incrível como, bem nessas horas que a gente mais precisa de uma solução para as coisas, nenhum pensamento bom ou ideia genial passam pela nossa cabeça.

Então, para você que tá de férias, aqui vai uma ótima inspiração do que fazer nos dias livres. E para você que não está de férias, uma boa oportunidade para você sonhar um pouquinho, ou planejar suas próximas férias! ;)

Claro que essa inspiração toda vem do cinema, né? Há vários ótimos exemplos do que se fazer nos dias de folga nos filmes. Então, suponhamos que, sei lá, você queira usar suas férias para visitar a família:


Nos filmes, há vários bons exemplos de que visitar a família no interiorrr nas férias pode ser bem menos chato do que parece. Em Garden State, por exemplo, Andrew (Zach Braff), um cara bastante meio estranho, volta para sua cidade natal devido à morte de sua mãe. Mas esse fato se torna secundário quando ele começa a encontrar antigos colegas, conhecer novas pessoas (como Sam, a personagem de Natalie Portman) e resolver seus conflitos internos. Bem legal.

Tem também Tudo Acontece em Elizabethtown, e sobre este eu nem precisaria falar. É um filme de Cameron Crowe, com Orlando Bloom e Kristen Durst. Não tem como ser ruim. Mas, para complementar, tem um enredo muito bom sobre a família do personagem e é um daqueles filmes em que cada fala é praticamente uma lição de moral, dessas que poderiam facilmente ser reblogadas mil vezes nos tumblrs da vida.

E para quem curte um Nicholas Sparks, A Última Música é imperdível. Deixe de lado seu preconceito em relação à Miley Cyrus (sim, a Hannah Montana) e embarque junto com ela na história da garota revoltada com a vida que vai passar as férias na casa do pai, numa cidadezinha praiana. Lindo filme, uma das melhores histórias do autor de best-sellers como Dear John e Diário de uma Paixão. Ah, e só pra avisar, esse filme é possível causador de desidratação causada por choro excessivo. Sério.

Ou, de repente, você decide encarar uma road trip:


Fazer uma road trip é meio que uma vontade existente no interior de 10 entre 10 pessoas, né? Por que não se inspirar nas histórias dos filmes, tomar coragem, pegar o carro, pessoas que você gosta e sair por aí nem que for de São Paulo até a Praia Grande? Em Pequena Miss Sunshine, por exemplo, uma família nadaa normal atravessa o país numa kombi para realizar a vontade da filha caçula, Olive (Abigail Breslin), de participar de um concurso de beleza para crianças. Ótimo, ótimo filme.

Para quem tem uma cabeça mais idealista, mais politizada, o filme Diários de Motocicleta pode ser uma grande fonte de inspiração. Conta a história de dois amigos, Ernesto Guevara (o Che) e Alberto Granado, que saem numa viagem pela América Latina, conhecendo os lugares, as pessoas e a situação que a população vivia. E, além disso, a viagem era feita numa moto. Quer dizer, a história é, no mínimo, exótica e muito importante para entender o ideal de liberdade que motivou Che tempos depois.

E ideal de liberdade é, no fundo, o que mais representa uma road trip, né? Sendo assim, Thelma e Louise é o filme que melhor representa esse gênero de viagem. As duas amigas do título, entediadas com suas vidas caóticas, decidem passar alguns dias pegando estrada, e acabam enfrentando situações inesperadas. Se ainda não deu vontade de assistir, bônus: tem Brad Pitt no filme ;)

Mas, se você prefere a clássica viagem entre amigas…


A clássica viagem com as amigas é sempre uma boa pedida. Vide Vicky Cristina Barcelona, onde as amigas Vicky (Rebecca Hall) e Cristina (Scarlett Johansson) vão passar férias em Barcelona, conhecem um Javier Bardem da vida, e aí, já viu né. Um dos mais recentes e melhores filmes de Woody Allen!

Se suas amigas forem rhycas, vale apostar também numa viagem um tanto excêntrica, como fizeram as meninas de Sex and the City ao irem para Abu Dhabi no segundo filme. A viagem ao oriente não é tão marcante quanto a viagem--pra-curar-fossa do primeiro filme, mas vale a pena pelas inúmeraaaas risadas! Afinal, todo mundo tem alguma amiga sem noção, porém muito querida, que faz a gente passar vergonha alheia na vida, né? hahah

E falando em viagem-pra-curar-fossa, quem lembra da viagem de Holly (Hilary Swank) após a morte do marido-sonho Gerry (Gerard Butler) em PS. Eu Te Amo? Ela e as amigas vão para a Irlanda e passam uma temporada lá toda planejada por ele. Quer dizer, a parte que elas estão num bote, no meio do lago, sai bem fora de qualquer planejamento, mas né, viagem sem perrengue não é viagem ;P

E ainda tem um outro tipo de viagem, talvez o melhor tipo:


O melhor tipo de viagem, para mim, é aquela em que a gente consegue, ao mesmo tempo, descansar, aprender, se renovar e curtir o lugar que a gente foi visitar. Maior prova disso é o filme Comer, Rezar, Amar, adaptação do livro que conta a história verídica de Eizabeth Gilbert, mulher insatisfeita com a vida que leva em Nova York que decide passar um ano sabático em lugares diferentes do mundo: Itália, Ind;ia e Indonésia. Em suma, a história é: deliciosa, inspiradora e altamente invejável. hahaha

No mesmo estilo "tirar férias da vida", Sob o Sol da Toscana é sobre a escritora Frances (Diane Lane), que depois de se divorciar do marido, resolve jogar tudo pro alto e ir morar na Toscana e ser vizinha do Totó . É claro que, nessa nova conjuntura, ela se encontra, e encontra também um cara que mexe com seus sentimentos.

E, saindo desse modelo, há uma outra história que também fala sobre uma viagem de auto-conhecimento, mas de uma forma bem diferente. Peixe Grande e Suas Histórias é um filme de Tim Burton, cujo personagem principal é um cara que resolve sair de sua cidadezinha para conhecer o mundo lá fora, conhecer as pessoas, ter experiências memoráveis. Tão memoráveis que, quando idoso, praticamente só o que ele faz é contar suas histórias fantásticas - e emocionar muito no final.


Enfim, seja qual for seu destino nas férias, vá de coração aberto. Eu digo isso porque viagem miada é comigo mesmo. Já passei tanto tempo emburrada e/ou irritada por não estar curtindo como eu gostaria que hoje consigo ver o quão idiota eu fui. Então, mesmo que suas férias não saiam como o planejado, mesmo que não dê pra pôr em prática as ideias dos filmes, tente aproveitar o máximo que for possível; seja numa viagem com a família para o meio do mato ou num bate-volta para a praia com gente pentelha.  Paciência. Os seus (e meus também) dias de Road Trip ainda estão por vir ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário