segunda-feira, 14 de março de 2011

Uma música pra chamar de sua

.
Como semana passada todo mundo estava na esbórnia do Carnaval (ou, no meu caso, muito confortavelmente acomodada debaixo do cobertor lendo/vendo filme/dormindo), decidi me dar uma folguinha e postar toda a série preparada em homenagem ao Dia da Mulher nesta semana. Então, de hoje até sexta, serão 5 posts sobre o sexo feminino na música, no cinema, na literatura e nas relações com o mundo. Espero que goste :)

*** 

Você, mulher, ganhou alguma coisa no dia 8 semana passada? Uma rosa, um chocolate, um tapinha nas costas? Nada? Pois é, nem eu, haha. Aparentemente, ser mulher não tá rendendo muito lucro nesse mundo de hoje, não.

Mas tem umas sortudas por aí que não podem dizer o mesmo. Elas ganharam talvez a declaração mais bonita que existe: ter não só seu nome no título de uma música, mas a música toda dedicada a você! Tem coisa mais amor?

Então, pra começar aqui no Clueless essa semana de posts em homenagem ao dia da mulher, selecionei minhas 10 músicas preferidas com nomes de mulheres. Pra a gente ouvir, cantar junto e invejar as musas inspiradoras dessas canções ;)


Angie - Rolling Stones


Quase gosto mais dessa música dos Rolling Stones do que de Satisfaction. É tão triste, mas ao mesmo tempo é tão linda, que a gente deseja intimamente que todos aqueles nossos amores passados voltem, chamem a gente de Angie, cantem essa música e, só então, nos deixem, haha. O poder da música é tanto que dá até pra achar o Mick Jagger *fofo* quando ele a canta! :O

A declaração: Oh, Angie, don't you weep/All your kisses still taste sweet/I hate that sadness in your eyes//But Angie, Angie, ain't it time we say goodbye?


(Oh, Angie, não chore/Todos os seus beijos ainda são doces/Eu odeio essa tristeza nos seus olhos/Mas Angie, Angie, não é hora de dizermos adeus?)

Anna Julia - Los Hermanos


Você, pseudo-cult, pode até dizer que Anna Julia é ruim, que não representa todo o incrível trabalho dos Los Hermanos e blablabla whiskas sachê. Mas eu duvidoo que você também não cantou "Ô Anna Juliaaaaa" lá nos idos de 1999! A música é muuito boa, e eu lembro de ver a verdadeira Anna Julia dando entrevistas em vários lugares, sem parecer nem um pouco chateada com a homenagem. E esse é o grande objetivo da coisa, né?

A declaração: Na certeza de um amor me achar um nada/Pois sem ter seu carinho/Eu me sinto sozinho/Eu me afogo em solidão/Oh Anna Juliaaaaaaaaaaaaaaa

Beth - Kiss


Beth é legal porque dá pra identificar bem qual é a historinha: o cara da banda que não tem tempo pra mulher e se sente mal de deixar ela sozinha, faz o que sabe fazer melhor: uma música sincera, culpada, porém linda pra ela. Que, na minha humilde opinião, fica mais linda ainda na voz do Puck (Mark Salling) de Glee, né ;)

A declaração: Beth, I hear you calling/But I can't go home right now/(…)/Just a few more hours/And I'll be right home to you/I think I hear them calling/Oh, Beth, what can I do?



A Carolina que nunca colocou trechos dessa música na descrição do perfil do orkut que atire a primeira pedra! Hahaha, confesso que até eu colocaria se esse fosse o meu nome. É uma música deliciosa, motivo de orgulho pra todas as Carolinas que pegam trechos elogiativos dela por aí, hehe ;)

A declaração: Carolina é uma menina bem difícil de esquecer/Anda bonito e tem um brilho no olhar/(…)/Eu te confesso que estou apaixonado por você/Ô, Carolina, isso é muito natural




John Lennon escreveu a letra de Dear Prudence para Prudence Farrow (irmã da atriz Mia Farrow). Ele, os outros Beatles e mais um grupo de pessoas estavam em um centro de meditação na Índia, e Prudence não queria participar das atividades, queria só ficar sozinha. Então ele fez essa música pra animá-la, chamá-la pra brincar, curtir o dia.

Eu só queria dizer que em 99% por cento das vezes que eu digo quero ficar sozinha eu sou mal interpretada e/ou ganho um esporro. Já a Prudence Farrow ganha uma música dessas. Esse, meus amigos, é o verdadeiro significado da expressão "puta mundo injusto".

A declaração: Dear Prudence, won't you come out to play?/Dear Prudence, greet the brand new day/The sun is up/The sky is blue/It's beautiful/And so are you/Dear Prudence, won't you come out to play?

(Querida Prudence, você não vai sair pra brincar?/Querida Prudence, receba o novo dia/O sol está lá em cima/O céu está azul/Está bonito/E você também/Querida Prudence, você não vai sair pra brincar?)



Música linda, porém pouco conhecida, do U2. Não achei a origem do nome, mas a letra faz a gente pensar se foi realmente escrita para uma garota, ou se o nome Grace apenas representa algo maior, um sentimento em relação ao mundo, todas essas coisas ativistas que o Bono curte, hahah ;P

A declaração: Grace, it's the name for a girl/It's also a though that changed the world/And when she walks on the street/You can hear the strings/Grace finds goodness in everything

(Grace, é o nome para uma menina/É também um pensamento que mudou o mundo/E quando ela anda na rua/Você pode ouvir os violinos/Grace encontra bondade em tudo)



Nada de muito romântico se encontra em Lyla, mas dá pra encontrar uma música com nome de mulher bem diferente, bem moderninha, com um clipe muito legal (clica no link aí em cima pra assistir!). Uma música que, em vez de exaltar a mulher, pede que ela esteja lá se ele cair. O que não deixa de ser uma declaração, né.

A declaração: She's the queen of all I've seen/And every song and city far and near/Heaven-hell, my mademoiselle/She rings the bell for all the world to hear

(Ela é a rainha de tudo que eu já vi/E de toda música e cidade longe e perto/Céu-inferno, minha senhorita/Ela toca o sino para todo o mundo ouvir)



Pode me chamar de tosca por misturar, num mesmo post, Oasis, Kiss e Milton Nascimento, mas eu simplesmente adoro essa música. Mais do que isso, acho que Maria, Maria não fala simplesmente da Maria, mas de toda mulher brasileira, inclusive aquelas que não tem uma música dedicada ao seu nome (oi, músicos, fazer uma música sobre uma Fernanda djá!! :)

A declaração: Maria, Maria é um dom, uma certa magia, uma força que nos alerta/Uma mulher que merece viver e amar como outra qualquer no planeta



Natasha é praticamente um épico, hahaha. Também não é exatamente uma declaração, mas é uma história cantada da vida de uma garota. Um dos grandes hits do Capital Inicial, Natasha tem sua razão de ser: a letra é ótima e a música também. Impossível resistir ao refrão "O mundo vai acabar/E ela só quer dançaaaaar"!

A declaração: Pelo caminho, garrafas e cigarros/Sem amanhã, por diversão roubava carros/Era Ana Paula, agora é Natasha/Usa salto 15 e saia de borracha/Um passo sem pensar/Um outro dia, outro lugar



Valerie é um nome que aparece em váaaarias músicas (veja a lista com todas elas aqui). A mais famosa delas é essa, originalmente de uma banda inglesa chamada The Zutons, mas mais famosa pela recente regravação de Amy Winehouse e pelo cover mais recente ainda feito em Glee (video acima). Valerie é a famosa música do "volta pra mim", na qual o cara chora por estar um lixo desde que Valerie e seus cabelos ruivos o deixaram. E olha, por uma música boa dessa, acho que a Valerie devia considerar o pedido ;)

A declaração: Cause since I've come on home/Well, my body's been a mess/And I miss your ginger hair/And the way you like to dress/Oh, won't you come on over/Stop making a fool out of me/Why don't you come on over, Valerie?

(Porque desde que eu cheguei em casa/Bom, meu corpo está um lixo/E eu sinto falta do seu cabelo ruivo/E do jeito que voê se veste/Oh, você não vai vir pra cá/Pare de me fazer de bobo/Por que você não vem pra cá, Valerie?)


Vale ressaltar também que tem um cara aí, um tal de Chico Buarque, que tem praticamente uma coleção de músicas com nomes de mulheres (Teresinha, Beatriz, Luísa, Lígia, Bárbara, Rita, Cecília, Iolanda, Iracema, Madalena, Renata MariaGeni…).


Depois de todas essas, acho que dá pra concluir que, sim, uma música é provavelmente a maior declaração que uma mulher pode ganhar. Por isso, ressalto minha solicitação: músicos, favor começar a trabalhar numa música chamada Fernanda djá!!! ;)

2 comentários:

  1. Olha, cuidado com esse pedido aí, porque numa dessas você corre o risco de ganhar homenagens como eu que tenho duas músicas que detesto levando meu nome e apelido.
    Camila, Camila do Nenhum de Nós, que fala de abuso sexual e Mila do Netinho. Experimente passar anos ouvindo "mil e uma noites de amor com você" de pessoas em quem você jamais daria nem um beijo, quem dirá faria amor por mil e uma noites...
    Agora, pra completar minha tristeza musical, anos depois de levar um pé na bunda, eu soube por terceiros que o ex, autor do pé na bunda, escreveu uma música pra mim. Dizem que era um forrozinho pé de serra. Não gosto de forró, mas apesar disso, queria muito ouvir a tal música que eu nunca encontrei em canto nenhum para saber se eu gosto ou não da homenagem.
    Musicalmente falando, só me fodi.
    rs

    Beijo
    (leio sempre seu blog pelo feed)

    ResponderExcluir
  2. Muito bom, acabei de "descobrir" o seu blog e já tô amando. hihi
    Além de homenagear as ditas cujas, as músicas também podem inspirar as mamães. hehe. foi o que aconteceu com a minha mãe.
    escolheu meu nome na volta da maternidade por causa que estava tocando na rádio a música do joão bosco.
    beeijos

    ResponderExcluir