terça-feira, 31 de maio de 2011

10 definições de amor de acordo com a música

.,
Você pode perguntar pra qualquer pessoa, em qualquer lugar, o que é o amor. As reações não variam muito. Sempre sai um risinho, uma olhadinha sem graça, um "aah, sei lá". Mesmo se você for no dicionário procurar o significado da palavra, há o sério risco de você encontrar muita prolixidade e pouca definição de fato.

Daí que, apesar de aparentemente o mundo inteiro ter dificuldade pra traduzir em palavras o famigerado sentimento, tem uma galere aí que parece achar muito fácil definir o amor: os cantores e cantoras. Sim, que a enooorme maioria das músicas fala sobre essa nobre emoção não é novidade, mas é interessante reparar no que cada uma define ou compara com o amor.

E não são poucas. Durante a pesquisa para esse post, cheguei a listar 25 definições diferentes pra mesma palavra (pra chegar a esse top 10 foi uma batalha, viu). Decidi deixar de fora algumas mais conhecidonas, como Love is all you need, Love is a battlefield e Love is in the air. Mas ainda sobra muita coisa boa. Ouça aí 10 definições da música para o amor:




 Beatles - Because: "Love is old, love is new"
Love is old, love is new/ Love is all, love is you






Amy Winehouse - Love is a losing game
For you I was a flame/ Love is a losing game/ Five storey fire as you came/ Love is a losing game






Mika - Lollipop:  "Love's gonna get you down"
I went walking in with my mamma one day/ When she warn me what people say/ Live your life until love is found/ Cause love's gonna get you down






The Darkness - Love is only a feeling
Love is only a feeling (drifting away)/ When I'm in your arms I start believing (it's here to stay)/ But love is only a feeling / Anyway






Joan Jett and The Blackhearts - Love is pain
We are not to blame/ For seeing love is pain/ And we are not ashamed/ To say that love is pain/ And we'll do it again






Bon Jovi - Love is the only rule
Dance in the pouring rain/ Spit in the eye of a hurricane/ Whos said life's got to be cruel/ Love is the only rule






Lady Gaga - Judas: "Love is like a brick"
I've learned love is like a brick/ You can build a house or sink a dead body






Lily Allen feat. Common - Driving Me Wild: "Love's not a mystery, it's everything"
Is this thing now/ It's driving me wild/ I gotta see what's up/ Befor it gets me down/ Love's not a mystery, it's everything






Patti Smith - Because the Night: "Love is an angel disguised as lust"
Have I doubt when I'm alone/ Love is a ring on the telephone/ Love is an angel disguised as lust/ Here in our bed until the mourning comes






U2 - One: "Love is a higher law"
Love is a temple/ Love is a higher law/ You ask for me to enter/ But then you make me crawl/ And I can't be holding on/ To what you got/ When all you got is hurt








Você vê que cada um fala de amor de um jeito, e coloca num ritmo diferente. Mas no final, todo mundo tá na mesma, tentando entender o mesmo sentimento ;)

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Mixtape 1 - Silly Love Songs

.
Sim, eu sei que a gente ainda tá em maio. Sim, eu sei que é meio cedo pra começar a falar (e falar bastante) sobre o assunto. Mas que culpa eu tenho se me ocorreu uma raríssima brainstorm e eu tive várias ideias de posts romantiquinhos, já no gancho do Dia dos Namorados?

Daí que, pra não congestionar a sexta-feira dia 10 com 72459263452 posts com este tema, resolvi distribuí-los em 10 dias, que consistem nessa e na semana que vem todinhas. Mas olha, eu juro, juro meesmo, que fiz de tudo pro negócio ficar bem levinho, de um jeito que os posts ficassem quase atemporais, de um jeito que nem desse pra perceber que eu os escrevi totalmente focados na data.

Mas enfim, pra começar, neste ano resolvi fazer algo diferente. Mentira, nem é diferente, todo mundo faz e eu sempre quis fazer também: Mixtape! Sempre penso em temas de músicas aqui na minha cabeça, e achei que seria legal colocar um desses temas em prática. Selecionei só musiquinhas de amor, musiquinhas felizes, pensando na inclusão. Ou seja, quem namora vai ficar nas nuvens, quem terminou recentemente ou ainda tá enrolada não vai ter vontade de cortar os pulsos e quem tá solteira-à-procura vai poder sonhar com um amor delicinha :)


Uma coisa que sempre achei chata nas mixtapes que vejo pela internet é o fato de a gente sempre ter que ou fazer o download de todas (e depois ficar com o negócio encostado no computador, porque nem sempre a gente gosta de todas as músicas, né) ou ter que sair procurando tudo pra baixar. Então, pra resolver este imbroglio, se você quiser ouvir alguma das musiquinhas acima (ou todas!), é só dar o play:


Eu sei que gosto não se discute e tal, mas em termos gerais, tem playlist mais amor que essa? ;)

E tem uma coisa irritante na produção de uma mixtape: por que a gente só vai lembrar de várias músicas ótimas depois que já fechou a playlist e fez todo o design bonitinho dela no editor de imagens?? Haha, em todo caso, vale indicar que a Entertaiment Weekly colocou numa lista com primeira e segunda parte 50 músicas ótimas músicas de amor que eu super recomendo também ;)

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Video fofo do dia

.
Como semana que vem já entramos em junho, preparem-se. Vou encher o saco com duas semanas inteiras todas trabalhadas no gancho do Dia dos Namorados, com posts literalmente muito amor! :))

Para já começar o aquecimento, um videozinho mega fofo pra adocicar a sexta-feira. Ele se chama The Love Story e foi feito em stop motion especialmente para a marca Richards.


The love story from Richards on Vimeo.

Já pode começar a soltar vários  "oooowns"; um pro cara lindo, um pras roupas lindas, outro pra música francesa delicinha..? haha :)


PS: a música do video se chama Belles Belles Belles, de Claude François

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Essa é a vida que eu quis

.

Sou só eu ou pegar uma gripe de vez em quando (muito de vez em quando) é interessante? Porque né, tirando a parte não saudável da coisa, quando mais a gente pode passar o dia todo na cama, tomando um cházinho, ver tv e sem sentir o menor sinal de culpa? #felicedadealternativa ;PP

quarta-feira, 25 de maio de 2011

The Burning House Project

.
Quais seriam os primeiros objetos que você salvaria da sua casa se ela estivesse pegando fogo?

Essa é a ideia da série de fotos The Burning House Project. O fotógrafo Holden Robert pediu que várias pessoas selecionassem o que gostariam de conservar em suas vidas se tudo mais que estivesse em suas casas pegasse fogo. É muito interessante reparar no que cada pessoa dá valor. Tem gente que pega câmera fotográfica, gente que pega espingarda, gente que pega computador, gente que pega um livro da Jane Austen, gente que lembra de salvar o gatinho de estimação…







Para ver as outras fotos da série (e tentar imaginar as pessoas por trás delas), clica aqui

terça-feira, 24 de maio de 2011

6 séries que eu não posso esperar pra ver

.
Neste momento triste do ano em que todas as nossas séries preferidas vão chegando às suas seasons finales e deixando a gente se mordendo de curiosidade pra saber o que vai acontecer na próxima temporada (ou mais triste ainda se a série tiver sido cancelada), só uma coisa consegue nos alegrar: os teasers das novas séries a estrear!

E olha, devo dizer que acho que a safra desse ano tá bem boa. Repare, tirando The Walking Dead que fez um sucesso considerável, tem alguma série que começou no ano passado que tenha realmente feito muito barulho no mundo do entretenimento?

Eu não me lembro. Em compensação, neste ano já tem muita série fazendo barulho antes mesmo de estrear. E como este blog é uma coisa meio pessoal e muito opinativa, achei que seria legal se eu selecionasse as 6 séries que eu mais tô empolgada pra ver e mais tô torcendo pra que deem certo. São elas:

The New Girl (FOX)


Sobre o que: Uma professora de educação infantil termina com o namorado e se muda da casa onde morava com ele pra morar com três outros caras. O problema é que ela é mulher, meio desengonçadinha e tá super curtindo uma fossa pesada, e eles não sabem como lidar com isso.

Com quem: Zooey Deschanel (500 Dias Com Ela) de protagonista e Liz Meriweather (produtora do filme Sexo Sem Compromisso) de produtora executiva.

Por que assistir: A maioria vai assistir pela Zooey Deschanel (inclusive moi, já até falei da série no blog, quando ela ainda nem tinha esse nome). Mas a série parece de fato bem engraçadinha, a personagem parece adorável, enfim, parece de fato um bom entretenimento. E vai estrear no mesmo dia da semana e no horário logo em seguida a Glee, o que significa que a Fox tá apostando bastante no projeto. E né, só de ter referência a Dirty Dancing, já acho um ótimo motivo pra não perder The New Girl :)


Smash (NBC)


Sobre o que: Como disse uma sinopse que eu li, é Glee depois da formatura. Smash é sobre o mundo dos musicais da Broadway, com as relações entre produtores, coreógrafos, atores, diretores, etc. Mas, ao contrário de Glee, Smash não é uma comédia levinha. É um drama, que tem como plano de fundo a montagem de um musical sobre a vida de Marilyn Monroe.

Com quem: Debra Messing (Will & Grace), a cantora Katherine McPhee e produção de Steven Spielberg

Por que assistir: pra quem critica Glee pela trama fraquinha e um pouco infantilizada, não vai mais ter do que reclamar. Smash parece juntar enredo bem entrelaçado com números musicais de altíssima qualidade. E pra quem já é fã de Glee, Smash não se apresenta como concorrente, mas como mais uma boa produção do gênero musical.


2 Broke Girls (CBS)


Sobre o que: uma garota sempre teve a vida difícil, sempre trabalhou muito e nunca teve grana. A outra sempre foi mimada, rhyca, e agora tá na pior. As duas começam a trabalhar na mesma lanchonete meia boca e a desenvolver uma amizade improvável.

Com quem: Kat Dennings (Nick & Norah's Infinite Playlist) e o produtor Michael Patrick King (Sex and the City)

Por que assistir: bom, pra falar a verdade, nem achei o enredo tão genial assim, e nem o trailer promete algo tão engraçado. Até acho que tende a ser clichê. Mas, quero dar uma chance a ótima Kat Dennings e ao já consagrado Michael Patrick King. Aliás, um dos melhores episódios de Sex and the City foi dirigido por ele e teve participação da Kat Dennings, então com 13 anos. Tô muito torcendo pra essa parceria dar certo de novo.


Apartment 23 (ABC)


Sobre o que: uma garota fofa, do interior, procura uma roomate. A menos pior das opções acaba sendo uma garota de Nova York, completamente louca, que promete aprontar muuito e deixar a vida dela uma bagunça.

Com quem: Kristen Ritter (ela sempre faz papéis coadjuvantes em comédias românticas, como a melhor amiga da Becky Bloom) e James Van Der Beek (o Dawson, de Dawson's Creek, interpretando a si mesmo).

Por que assistir: Achei o trailer um pouco estranhinho (o áudio deslocado não ajuda, né), não dá pra saber se a história vai pender mais pro lado da roomate do mal ou se as duas vão desevolver uma amizade meio conturbada (acho mais provável). Mas parece bem politicamente incorreta e divertida. E a personagem da Kristen Ritter tem cara de ser uma dessas personagens totalmente erradas, mas que são a alma da série.


I Hate My Teenage Daughter (FOX)


Sobre o que: duas mães que eram loosers no colegial tiveram duas filhas, que hoje são amigas. Só que elas mimaram tanto essas meninas que agora elas se tornaram aquelas mesmas bitches que tocavam o terror delas quando adolescentes. Agora elas têm que aprender a lidar com essas capetinhas teens.

Com quem: Jamie Pressly (My Name is Earl), Kevin Rahm (Desperate Housewives)

Por que assistir: tem cara de ser o novo guilty pleasure. É uma comédia aparentemente bem fútilzinha, que não acrescenta nada, mas que cumpre seu objetivo: fazer rir. Bastante. :)


Pan Am (ABC)


Sobre o que: a vida de comissárias de bordo da companhia aérea Pan Am nos anos 60, com suas decisões e condutas sobre trabalho, amor, liberdade e lindos cenários pelo mundo.

Com quem: Christina Ricci e elenco pouco conhecido

Por que assistir: O clima retrô já provou ser sucesso em Mad Men, e pelo visual lindo que o trailer mostra, acho que tem tudo pra ser sucesso em Pan Am também. Além disso, o enredo é bem original, e acho que vai ser divertido sair do lugar comum das séries americanas sobre high school ou sobre hospitais pra acompanhar a trama sobre aeromoças dos anos 1960.


Tentei fazer desse um post não muito grande, mas há tantas outras séries grandes pra estrear, que é bem provável que eu faça outro post nesse mesmo gênero. Mas e aí, a quantas tá a sua ansiedade pra assistir alguma ou todas essas séries? Setembro, cê já tá chegando? ;)

segunda-feira, 23 de maio de 2011

I Like It

.
Adoro fazer essa tag no blog, mas tem horas que essa internet simplesmente não colabora. Quero postar coisas bonitinhas, interessantes, diferentes, mas cadê elas? Haha, mas enfim, com alguns dias de atraso (geralmente posto o I Like It no começo do mês), cá estou eu com a minha seleção de pequenos entretenimentos que me encantaram. Espero que gostem :)



• Reciclagem fofa

Seria TÃO mais legal se as ONGs e empresas que apoiam a sustentabilidade e soluções "verdes" fizessem campanhas mais divertidas e menos ecochatas (aka gente do Greenpeace te abordando todo santo dia na saída da faculdade :PPP). Esse videozinho é um ótimo exemplo do que elas deveriam fazer. A história de amor entre duas garrafas plásticas de leite; tem como não amar?



• Livro Thx Thx Thx

Já fiz um post aqui no Clueless sobre esse blogzinho amor que é o Thx Thx Thx (lê-se thanks thanks thanks). Agora, mais amor ainda é saber que a autora do blog lançou um livro com a coletânea dos bilhetinhos de agradecimento que posta no blog. Tá em pré-venda na Amazon, e a Leah Dieterich já fez até teasers pra divulgar sua obra :)




• Barbie, é você mesma?

A Victoria, do Borboletando, postou uma série de fotos que mostram a Barbie num ângulo diferente. Menos rosa, mais negro. Parece que a fotógrafa responsável, Mariel Clayton, não simpatiza muito com a boneca, e quis mostrá-la de um viés meio psicopata, haha. Eu tive muitas, muitas Barbies na minha vida, mas nenhuma com a personalidade tão sombria assim:



A mesma fotógrafa também fez outra série estrelando a Barbie, chamada Rooms, que tem como objetivo mostrar a boneca em situações cotidianas e não tão glamurosas da vida:


Para ver as outras imagens dessa série, só clicar aqui

• Darren Criss

Certeza que um dos grandes trunfos dessa atual temporada de Glee - que termina hoje, por sinal - é ele: Darren Criss. Essa ótima voz e essa cara de Traquinas (a bolacha mesmo) conquistaram não só o Kurt, mas milhares de meninas no mundo todo (ele já declarou que é hetero, tá gente. Todas fica aliviada, haha). Inclusive eu, claro. Ainda mais depois de ouvir essa música fofa, muit fofa, que acho que pertence a um musical que ele fazia antes de entrar pro elenco da série. Muito amor


E além de talentoso, o cara também foi considerado um dos mais estilosos pela resiata GQ americana. Participou até de um editorial da revista, olha só:





• Inspiração jovem

Por fim, uma dessas fotos que a gente sempre acha no Tumblr, mas quase sempre passa reto. Essa eu parei pra ler. E fiquei com vontade de imprimir e colar no espelho. Pra aqueles dias que a gente contraria a poeta Xuxa e fica de mal com a vida :


;)

sexta-feira, 20 de maio de 2011

As fotos de casamentos mais lindas do mundo

.
Ainda no assunto casamento, mais um postzinho. Deve estar ficando chato, mas prometo que vou me policiar quanto à repetição de temas! ;P

Uma das razões pela qual eu nunca quis ser fotógrafa é que, além de não ter o menor talento pra coisa, sempre pensei que deve ser meio frustrante a pessoa querer ser fotojornalista ou fotógrafo de moda e só conseguir emprego como fotógrafo de casamentos e formaturas. Mas olha, depois desse fotógrafo aqui, tô mudando meus conceitos.

Josh Goleman é fotógrafo de casamentos. E olha, sem querer ofender, mas aquele album de casamento dos seus pais ou familiares não é lá grandes coisas perto do trabalho do cara! São fotos de casamentos pequenos, em geral, casamentos em casa, coisas simples. Mas ele consegue pegar espontaneidade, detalhes, poesia nas pequenas coisas e, principalmente, felicidade genuína dos noivos e convidados. Olha que coisa mais encantadora:

(clique para ampliar)







Além dessas fotos da cerimônia e festa de casamento, o fotógrafo ainda faz fotos posadas mas incrivelmente divertidas e naturais dos noivos e convidados:





Para ver todas as fotos de todos os casamentos fotografados por Josh Goleman, clica aqui

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Essa é a vida que eu quis

.

Na lista de coisas a fazer: parar de assistir tanto Glee e programas de competiçõ de cantores e entender que não, eu não vou ser cantora de musical. Na próxima vida, quem sabe.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Sobre os famigerados filmes sobre casamentos

.
Então que, semana passada, aconteceu uma coisa inusitada (não crie muita expectativa, foi inusitada pros meus termos desocupados, haha). Estava eu, navegando pelo site da Entertainment Weekly, lendo as críticas sobre os filmes que iriam estrear na última sexta-feira, quando eis que me deparo com um filme que tirou A (eles fazem a crítica dando notas; A é tipo um 9,5, só perde pra A+). Na minha memória, a EW só costumava dar A pra filmes que já vêm bem grandes, com chances de Oscar (O Discurso do Rei, por exemplo, ganhou A+). Mas aí eu fui ver que o filme que tinha tirado nota alta era um chick film, chamado Bridesmaids ("A Melhor Despedida de Solteira" em português)


Dá pra ver que o filme é bem engraçado - culpa da ótimaa artiz principal, Kristen Wiig, do Saturday Night Live - e tem um quê de Se Beber Não Case, que foi bem premiado, inclusive. Mesmo assim, me surpreendeu um filme de casamento receber críticas tão boas.

Porque né, filme de casamento é praticamente um subgênero da comédia-romântica. É um tema super explorado, super repetido, e é um pouquinho complicado encontrar um filme desse tipo que realmente faça valer as duas horas que você perde assistindo. Mas, não é impossível. Por isso que fiz aqui três top 5's sobre casamento na ficção. Enjoy :)



Sim, filmes sobre casamentos são bobinhos, mas super dá pra se divertir com eles! Não sei você, mas eu super me divirto numa tarde tediosa assistindo O Pai da Noiva (5) ou Vestida pra Casar (1). Tem também o Noivas em Guerra (2), que, além das brigas e sabotagens do mal entre as amigas, dá super pra prestar atenção também nos lindos figurinos que elas usam! Além desses, não dá pra não falar de dois que são bem parecidos, e seriam mais ainda se um não fosse tão melhor que o outro: O Melhor Amigo da Noiva (4) é bom, cenários escoceses legais, mas O Casamento do Meu Melhor Amigo (3) é sensacional :)



Casamentos são sempre grandes acontecimentos nas séries, geralmente reservados para os finales, ou seja, os últimos episódios. Por exemplo, Friends teve alguma temporadas terminando com casamentos. Óbvio que Ross (5) tem grande culpa nisso. Antes de seu casamento bêbado em Las Vegas, ele tinha intenção de se casar com a inglesa Emily. Mas aí, o espertão disse o nome errado no altar…haha, enfim, casamento mais correto (e lindo) foi o de Monica e Chandler (2), na 7ª temporada *--*. Outros casamentos que marcaram as séries: Miranda e Steve (4) em Sex and the City, O pai de Kurt e a mãe de Finn em Glee (1) (com toda a galere cantando pro casal entrar na igreja, acho tendência) e Dorota, a governanta-amiga da Blair, em Gossip Girl (3), que casou grávida e com Chuck Bass de padrinho.



Você pode até ser totalmente cética em relação em casamentos, mas acho que não tem como não se encantar com esses vestidos de noiva. Seja com o vestido princesa/bolo de Encantada (2), com o vestido praiano de Mamma Mia! (3), o retrô curto e cheio de tule de Funny Face (4) e o Vera Wang mais cheio de tule ainda de Noivas em Guerra (5), super dá pra querer ser noiva, nem que seja só pela personagem :P. Mas ainda assim, pra mim o mais icônico mesmo é o Vivienne Westwood que Carrie usou em seu quase-casamento no filme de Sex and the City (1), devidamente ornamentado com este pássaro azul na cabeça :)


Então, pra quem gosta de filmes de casamento, parece que esse Bridesmaids vai ser uma boa pedida. Pra quem não gosta, também. E vou confessar, tô querendo assistir só pra ver se as damas de honra serão tão bizarras e usarão vestidos tão breguinhas como o trailer promete. Vamos acompanhar ;D

terça-feira, 17 de maio de 2011

Aquele com os DVDs

.
Então que, devido ao sucesso estrondoso do video-meme Na Minha Pseudo-Prateleira (menos, BEM menos, haha), cá estou eu, novamente mostrando minha cara-de-pau e articulação oral que sempre deixa a desejar em mais um videozinho bobo para este pequeno blog :PP

No mesmo estilo do video falando sobre os livros, a Taryne teve a ideia de fazer um em que cada blogueira falasse sobre seus dvds. O que eu achei ótimo, porque eu falo muito mais sobre cinema do que sobre literatura aqui, e já assisti muito mais filmes do que li livros. Porém, é ótimo na teoria, né. Esse video teria muito mais sentido se eu mostrasse minha lista de links de filmes que assisti na internet ou se eu fosse em uma grande loja do ramo e começasse a dissertar sobre os títulos que me agradam ou não. Mas enfim,o lado bom é que este vídeo ficou bem menor que o outro, que tinha incríveis e completamente sem noção 24 minutos #fail

Mas chega de enrolação, dá o play aí! :)



Claro que, mais uma vez, acho que algumas considerações são bem válidas sobre esta coisa:

• Como eu disse, gravei este video à 1:20 da manhã, horário em que meus pais estavam dormindo e eu estava meio lesada já. Como consequência, você pode observar que eu falei cheeia de pausas, bem baixo, bem "pra dentro"durante o video todo, com aqueles devaneiozinhos super desnecessários que ninguém entende. Juro que se eu soubesse colocar legendas, eu colocava, haha. E não sei se foi o sono ou se foi retardadice mesmo, mas eu esqueci coisas óbvias, como o título do filme em inglês e de pegar o dvd da sexta temporada de Sex and the City. Em todo caso, vale dizer que é a melhoor temporada, e a capa é essa aqui ao lado.

• Já falei muitas vezes sobre quase todos os dvds que citei, então, pra quem quiser conferir um pouquinho mais sobre eles, só clicar nos links aqui embaixo:

Três Vezes Amor: posts 1, 2 e 3
Tudo Acontece em Elizabethtown: posts 1 e 2
Sex and the City: posts 1 e 2 (esses são só 2 dos muuuitos que já fiz sobre a série :)
Julie & Julia: posts 1 e 2
Dirty Dancing: post com vários top 5's sobre musicais
Quase Famosos: posts 1, 2, 3, 4 e 5
Across the Universe: posts 1, 2 e 3
O Casamento do Meu Melhor Amigo: posts 1 e 2 (aquele sobre o amigo gay que eu falo no video)
As Patricinhas de Beverly Hills: posts 1 e 2
Filmes de John Hughes: Curtindo a Vida Adoidado, Pretty in Pink e Sixteen Candles: posts 1, 2, 3, 4 e 5, com a minha homenagem em forma de post gigante aos 4 filmes principais dele.

Então tá, né, este foi o meu video com os meus dvds. Obrigada mesmo a quem assistiu até o fim, sei que ver a minha carona de tão perto (o que foi sem querer, só depois de gravar que vi que fiquei muito perto da câmera, mal aê) não é a coisa mais legal do mundo, haha! Mas né, espero que as dicas de filmes e séries tenham valido o esforço ;P

segunda-feira, 16 de maio de 2011

High School Fashions

.
Encontrei essa série de fotos no (ótimo) blog Já Matei por Menos, e geralmente não gosto de postar coisas que já vi em outros blogs (porque pra rebloggar a gente tem o tumblr né, vamos tentar ser inéditas de vez em quando, haha). Mas achei isso tão, tão legal, que podem me julgar, mas não resisti e tô aqui usando esse material também.

O fotógrafo Arthur Schatz fez, para a revista Life em 1969, essa série de fotos chamada High School Fashions, que tinha como objetivo mostrar como as garotas se vestiam pra ir pra escola naquela época. E é incrível, a gente fica achando que movimento hippie é aquela coisa estereotipada, woodstockiana, fantasia feelings, mas era assim mesmo que as meninas iam pro colégio, uma coisa linda, mas meio caricata até.

A enorme maioria das escolas atualmente (pelo menos aqui em São Paulo) obrigam o uso de uniforme, com o argumento de que o aluno deve focar nos estudos, e não na roupa que a coleguinha tá usando, e blablabla whiskas sachê. Mas sério, eu acho que a utilização da moda de um jeito tão criativo, bonito de se ver, que mostra tanto a personalidade como a característica de uma época, é uma coisa que deveria ser estimulada, e não proibida. Vê se você concorda comigo:

(clique para ampliar)










Agora, fica aqui a sugestão pro fotógrafo: seria MUITO legal ver como estão essas meninas hoja, mais de 40 anos depois. E como as filhas e netas delas se vestiam pra ir à escola também ;)

sexta-feira, 13 de maio de 2011

A Batalha das Músicas Gêmeas

.
Tá a fim de ganhar muito dinheiro num ramo ainda não explorado por ramo nenhum deste capitalismo porco em que vivemos? Dica: invente alguma coisa, qualquer coisa, que acabe com o grande mal da classe artística (e de todo jornalista, escritor e blogueiro que se preze também): o bloqueio criativo. Sério, é sucesso garantido. Eu compraria fácil.

Digo isso porque, além de sofrer deste mal frequentemente, parei pra pensar esses dias que, assim como os filmes que têm exatamente a mesma temática - como eu já exemplifiquei no post "A Batalha dos Filmes Gêmeos" - há também uma infinidade de músicas com exatamente o mesmo nome! Tudo bem que não dá pra ser sempre original, já que todos falamos a mesma língua e muitas músicas falam de assuntos universais. Mas né, uma criatividade às vezes cai bem.

Assim sendo, cometi a atrocidade de fazer aqui algumas das comparações musicais mais esdrúxulas que você já deve ter visto em sua vida. Mas, apesar de diferentes entre si, todos eles têm algo em comum: usaram exatamente as mesmas palavras pra colocar nos títulos de seus trabalhos. Olha aí:

Afinal, sobre o que cantam as músicas? Sobre pessoas muito apaixonadas/obcecadas, obviamente. Mas, de formas diferentes. Enquanto Aerosmith é um pouco melancólico, chorando pela garota que foi embora e deixou o coitado do Steven Tyler gritando "craaazy", Britney-bitch fala em seu hit sobre como é ficar tão louca por um cara a ponto de nem conseguir dormir pensando nele.

Qualidades e podres de cada: Vou confessar que tô com uma dificuldade enorme de comparar essas duas músicas, porque sou estranha num ponto de achar ambas incríveis, não-consigo-parar-de-ouvir, cada uma com seu jeito, claro. Mas acho que o maior apelo das duas são os clipes. Aerosmith com Liv Tyler e Alicia Silverstone sensacionais e Britney com suas coreografias irreparáveis: tem como não amar?

E o #Winning vai para: Desculpa, vou ter que dar empate. Tô cantando as duas no último volume há um tempinho aqui, tô "crazy" demais pra escolher, haha :P

Afinal, sobre o que cantam as músicas? Difícil pegar uma música com o título Jump que não tenha uma mensagem positiva, né. Madonna diz em sua versão que você deve se arriscar, enfrentar a vida bandida, não olhar pra trás, etc. Simple Plan quaaase cai no seu querido movimento emo ao reclamar da cidade, do trabalho, de tudo, mas ressurge das trevas ao falar que só quer pular e esquecer dos problemas.

Qualidades e podres de cada: ambas fazem justiça ao nome, o que quer dizer que o ritmo das duas Jump's dá pra dançar, mexer o corpitcho. Porém, meio complicado analisar Madonna com Simple Plan. Enquanto a música dela já foi trilha de vários filmes, como O Diabo Veste Prada, Pierre Bouvier e sua turma andam tão sumidinhos..

E o #Winning vai para: cejura que eu preciso mesmo falar que o #winning vai pra rainha do pop? Maddie é superior em todos os aspectos, fazer o quê.

Afinal, sobre o que cantam as músicas? Ah, os cafajestes! Sempre têm seu lugar garantido na produção de música pop! E sempre devidamente esculachados pelas trouxas que caíram em seus papos, lógicamente. Mariah faz a coitada-enganada com um papinho de que deu o seu melhor e o cara só a fez sofrer. Já Pat Benatar é mais categórica, uma coisa assim, meio "já vi que você não presta, saia da minha vida".

Qualidades e podres de cada: Mariah é sempre aquele breguinha guilty-pleasure, né? No clipe dessa música (uma das melhorzinhas dela, por sinal), ela aparece de blusinha frente única rosa, barriguinha de fora e uma calça jeans medonha, veja que amor. E a música ainda é daquelas com participação de rapper, coisa fina. Pat Benatar, por outro lado, investe num clima mais rock, tanto que a música teve até cover do No Doubt.

E o #Winning vai para: ambas são boas, mas acho que Heartbreaker da Mariah leva. Porque né, Pat Benatar não seria uma das melhores artistas de um hit só (a ótimaaa Love Is a Battlefield) se eu a escolhesse como vencedora aqui, haha.

Afinal, sobre o que cantam as músicas? Sobre coisas bem diferentes, até. Os Rolling Stones, muito bravinhos que estavam, fizeram uma música descendo a lenha numa certa garota (sério, stupid é um dos xingamentos mais leves). Pink foi pro lado da crítica, mas uma crítica mais generalizada, à sociedade, que faz com que garotas se preocupem exageradamente com beleza e não com o que realmente importa.

Qualidades e podres de cada: sonoramente, ambas são legais - com uma pequena quedinha pro refrão grude de Stupid Girl da Pink. Porém, na letra é que se vê toda diferença. Complicado falar mal de Mick Jagger e família, mas enquanto eles mesmos falam mal da garota, Pink canta e faz um clipe muito bom que retrata e chama atenção para essas ideias todas erradas que estão aí.

E o #Winning vai para: Pink. Foi mal, Rolling Stones, mas acho vocês muito, mais muito melhores quando querem falar bem e lindamente de uma mulher do que quando querem falar mal. (vide Angie)

Afinal, sobre o que cantam as músicas? Sobre surtar, pirar, se libertar, curtir a vida adoidado, ou tudo isso junto. Porém, enquanto em Breakout do Foo Fighters há um sentimento mais de loucura patológica mesmo por causa da garota, Breakout da Katy Perry é só sobre a loucura de sair à noite pra balada casamigue mesmo.

Qualidades e podres de cada: Breakout do Foo Fighters é uma das melhores músicas da banda (e isso definitivamente não é pouca porcaria). Breakout da Katy Perry não é ruim, é um popzinho bem estereotipado, dá pra mexer o péxinho. Mas a música acabou não entrando no primeiro cd dela, ficou de fora e foi repassada pra Miley Cyrus (ela sim, gravou a música em seu primeiro cd). Quer dizer…

E o #Winning vai para: Foo Fighters. A música é uma das melhores de uma das melhores bandas do mundo, e a outra nem chegou a entrar no primeiro cd de uma cantora pop até então desconhecida. Reflitam.

Afinal, sobre o que cantam as músicas? Sobre um ódiozinho básico no coração, claro. Mas direcionado a personagens diferentes. Lily Allen, trendsetter que é, falou sobre o bullying em homossexuais antes desse burburinho todo atual, e Cee Lo foi menos sério. Falou de amor não correspondido. Clássico.

Qualidades e podres de cada: músicas ótimas, que parecem ter sido interpretadas pelas vozes mais certas possíveis. Lily Allen é mais brava e pega mais pesado. Cee Lo é mais cômico e pega mais num "quem ri por último ri melhor" feelings, num clipe muito, muito bom. Cada um com seus pobrema, eu adorando os dois.

E o #Winning vai para: Fuck You de Cee Lo Green. Lily, te amamos, mas o cara não é super premiaro, não teve a música tocada em Glee e adaptada pra vários outros sentidos (Forget You, Thank You..) e considerada uma das melhores do ano passado à toa, né ;)

...

Eu poderia fazer uma série de posts iguais a esse até o fim do ano que não me faltaria assunto. Falta criatividade pra esse povo da música, mas nos sobra diversão. Faça você também o exercício de jogar no Vagalume um nome relativamente comum de uma música que você gosta e deleite-se com os vários resultados semelhantes que aparecem. Você vai perceber que fazer o Fall Out Boy ou o Panic at the Disco, que dão nomes gigantescos pra suas músicas, não é falta de noção. É investimento puro em exclusividade, haha :)

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Tumblr legal do dia: Little Things

.
Não sei você, mas pra mim, a ideia central do tumblr é a de um "lugar" para ver alguns blogzinhos úteis e/ou interessantes (como o meu humilde Espionagem Literária, cof cof), rir com algumas trollagens e, principalmente, passar horas matando o tédio ou procrastinando a vida com as fotos e quotes lindas e poéticas que as pessoas reblogam loucamente por aí.

Aí eu achei este tumblr que é bem isso: junta todas as coisas fofas que podem acontecer no mundo, faz pequenos "cartõezinhos" com elas e todas morre de amor, né! Haha, o Little Things é especializado em postar sobre todas aquelas situaçõess lindas do dia a dia que quase passam despercebidas:








Pequeno tumblr pra alegrar a quarta-feira :)