sexta-feira, 10 de junho de 2011

O amor segundo o Google

Ah, o amor. Esse sentimentozinho barato que faz todo mundo se mobilizar no meio de junho pra celebrar os casais apaixonados. Que faz a blogueira escrever mil posts inúteis sobre o assunto. Mas que faz também com que um deles, esse aqui, seja talvez um pouco mais interessante.

A gente vive ouvindo por aí que o Google salva vidas (e trabalhos acadêmicos), que o Google devia ser canonizado, etc. Mas será que, quando se trata de um assunto tão difícil como o amor, o Google também tem todas as respostas?

É isso que eu fui tentar descobrir. Vamos lá então, Mr. Google, o que é o amor?


Ok, entre amor de mãe e essa linda frase na última linha, também concluo que amor é amor, romance é romance, e você sabe o final. Mas ainda não tô satisfeita. Tem mais?


Daí que a gente percebe que não tem pra onde fugir, o mundo foi dominado pelas comédias românticas. Porque, pelo Google, o amor não tira férias, o amor e outras drogas, o amor acontece, o amor é paciente (que e o trecho de uma poesia que 99% das pessoas devem ter ouvido pela primeira vez em Um Amor pra Recordar). Mas e o amor chegou, o amor venceu? Onde? Tô procurando ainda..

Daí que a gente percebe também que o amor aparentemente tem um sinônimo: a dor.


E como o amor é algo extremamente subjetivo, sempre há mil possibilidades. Devo adiantar, nenhuma muito feliz. Quer ver? E se…


Quer dizer, se você resolver os conselhos do Google, se resolver beber, se entregar, chorar, seu amor meio que vai pro saco, né. Como já deu pra perceber que o negócio é complicado, a gente começa a se perguntar, por que, Google? Por que eu…


E como o amor sempre envolve duas almas apaixonadas, por que você…


E então, tirando a parte do BBB, a gente percebe que, aparentemente, amar é sofrido, mas a gente não liga. E pensa, e sente, e quer estar perto, e não quer ficar tão solto. A gente gosta…


A gente gosta, sim, mas aqui não tem essa de deixar subentendido. Porque, no fim, o sábio Google faz questão de dizer que amar é…


Amar é complicado, é pecado, é punk (melhor definição ever). Mas também é dividir. E mesmo estando quase no fim da lista, o Google não deixa a gente esquecer: amar é bom ;)

2 comentários:

  1. Amo amo amo amo amo amo amo amo seus posts

    ResponderExcluir
  2. Fê, demorei MUITO pra comentar, mas esse é um dos melhores posts do seu blog. Ótima ideia, simples, divertido e muito, muito bem executado. Adorei e parabéns!

    ResponderExcluir