terça-feira, 26 de julho de 2011

Os clássicos do cinema e seus remakes

.
Em tempos de 'O Astro' de volta na TV e de mil franquias estreando mais uma vez no cinema, não tem como não pensar e não comparar os originais com os remakes. Porque aquela máxima de 'nada se cria, tudo se copia' é verdade mesmo, e pra comprovar, basta observar a cena cinematográfica atual (pseudo-intelectualizando a coisa).

Não sei se você percebeu, mas tem uma boa leva de filmes de contos de fadas sendo refilmados, reformulados, reencenados, enfim, reciclados pelos estúdios. As franquias do cinema costumam ser um bom negócio - taí Harry Potter que não me deixa mentir - mas nesse caso, as histórias são quase as mesmas, não seguem uma "saga" ou sequência, apenas fazem modificações na trama original. Atualizam, mudam o foco, colocam zumbis no meio, enfim, uma beleza (ou não).

Seja por falta de criatividade ou senso de oportunidade bem aproveitado, a gente só vai poder saber se os remakes honram os sucessos originais depois que eles chegarem ao cinema, né. Por enquanto, só nos resta especular e falar aleatoriedades sobre o assunto, haha. Vamos ver, então, alguns filmes que ganham novas versões em breve:


Branca de Neve, aquele filme lindo de 1937, da minha princesa favorita, veja só, está com duas novas versões sendo produzidas ao mesmo tempo (estratégia de marketing #fail?). A primeira é The Brothers Grimm: Snow White, que aparentemente é a versão mais próxima da que a gente conhece, com a diferença de ter um ar mais cômico e figurinos mais modernos e coloridos. A segunda versão, Snow White and the Huntsman também conta a mesma história, só que de uma forma um pouco mais sombria (a coitada da Branca de Neve já não aparece nas fotos como princesa, mas como guerreira - vai entender) e com 8 anões em vez de sete, sendo que todos eles têm nomes de imperadores romanos. WTF?, pois é.

Daí que, como não consigo evitar, pretendo assistir às duas, mas acho que a versão dos irmãos Grimm tem uma leve propensão a ser melhor que a outra. Porque acho que a história que se propõe a ser mais leve tem mais chances de dar certo do que a que se propõe a ser mais séria, e, principalmente, por uma razão: o elenco. No papel principal, tem Lily Collins, contra Kristen Stewart do outro lado. Pra quem tem birra dela (aka eu), já é broxante até dizer chega. No papel da Rainha Má, de um lado temos Julia Roberts, e de outro, Charlize Teron. Nada contra ela, mas Julinha já tem lugar cativo no coração dos amantes de comédias-românticas, né? E como comparar o Príncipe? Em Snow White and the Huntsman, quem o interpreta é Sam Claflin, que é até muito bonitinho bem meu tipo, mas quando se tem Armie Harmer no outro filme…fica difícil competir.

Além de Branca de Neve, outra Princesa Disney já ganhou sua versão de carne e osso em um filme que sai daqui a pouco (setembro) e outro que ainda está em pré-produção:


A Bela e a Fera também tem sua cota de remakes modernos. Vanessa Hudgens encarna a princesa no filme A Fera. A história continua sendo sobre o cara que foi amaldiçoado e tem sua aparência modificada e blablabla que encontra o amor verdadeiro de uma bela moça. O fator moderno é que toda a trama se passa em Manhattan, e o cara não se transforma num tipo urso/touro/sei lá, só tem a cara marcada por o que parece ser simplesmente uma tatuagem.

A outra versão foi divulgada bem recentemente, tipo semana passada. A Bela e a Fera na versão do diretor Guillermo del Toro ainda não tem nenhuma informação precisa e nem começou a ser filmada, mas a protagonista já foi anunciada: a linda da Emma Watson. Vou ser a primeira da fila pra assistir, sim ou claro?

Daí a gente lembra de um outro conto de fadas que já teve suas versões atuais por aí…


Cinderela. Eu acho que se a história não fosse tão legal, e se o negócio de ela perder o sapatinho não fosse tão icônico, não daria margem à imaginação fértil e por vezes tão desnecessária das pessoas. Porque né, vamos dar uma relembrada nos remakes. A Nova Cinderela é provavelmente o melhor filme da Hilary Duff, e é até bem legalzinho em certos pontos, bom entretenimento adolescente.

Já o Outra História da Cinderela…sério, alguém pediu? Alguém sentiu tanta falta assim da história pra pedir uma outra versão (piorada) dela? E ninguém percebeu que as chances de colocar a Selena Gomez pseudo-dançando tango num filminho bobo e isso não funcionar eram assim, gigantes? :S

Maas, nem só de contos de fadas vivem os remakes. Alguns livros têm histórias tão boas que os produtores, roteiristas e diretores não se conformam em adaptá-los só uma vez. Querem fazer a mesma coisa de novo, em novas versões inesgotáveis. É o caso de Emma, de Jane Austen.


Eu sei que a galere ama Orgulho e Preconceito, ama exaltar que Mr. Darcy é o homem perfeito. Porém, eu super gosto de criar polêmica e dizer que acho Emma muito mais legal, e o Mr. Knightley sim, é o homem perfeito. Por isso acho super justificável que a história tenha suas várias versões. O filme "oficial" é 'Emma', de 1996, com uma Gwyneth Paltrow mais fofa do que nunca no papel principal. A BBC fez uma mini-série também chamada 'Emma', com Romola Garai de protagonista - já cheguei a apresentar Romola Garai nesse post aqui. E uma das coisas mais legais de Emma foi a adaptação da história num dos meus filmes mais queridos, o Clueless. É super bem feita e super fiel.

Outro ótimo livro ganhando adaptação nova agora: O Grande Gatsby.


O Grande Gatsby fala sobre uma história de amor nos anos 20, com um pouquinho de mistério delicioso no meio, e teve seu primeiro filme protagonizado por Robert Redford e Mia Farrow. A nova versão deve estrear no ano que vem, e conta com Leonardo Dicaprio e Carey Mulligan como casal principal. Boas chances de ser um dos grandes filmes de 2012.

Para não dizer que só filmes bons ganham remakes, os nem tão geniais assim também estão sendo reciclados e atualizados desagradavelmente - taí Transformers que não me deixa mentir. Um dos grandes pesadelos dos remakes é…Footlose. Nunca achei o primeiro filme muito brilhante, mas dentro do contexto de musicais dos anos 80, era até ok, e a trilha sonora prestava. Já o novo, deu vergonha alheia já no trailer…


Oremos.

3 comentários:

  1. A tentativa de recriação de algo que fez sucesso no passado é válida e tem sido tendência nos últimos anos. Parece que o inconsciente coletivo de Carl Jung nos dominou e não existem mais ideias novas, o que eu, particularmente, acredito não ser verdade.
    Mas sempre é bom dosar para evitar críticas realmente plausíveis. Caso contrário, o resultado estético fica a desejar e a fama do diretor (ou de toda a equipe) vai por água abaixo.

    Blog maravilhoso, Fernanda.
    Um ótimo local pra exercer nosso pensar crítico acerca da mídia em geral. Parabéns!

    Beijos
    http://senhor-do-tempo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Ahhhhhhhhh vc esqueceu de Ever After: a Cinderella Story!! É o "remake" mais lindo do mundoooo (ok, é meu filme predileto :D)
    Sério, é uma versão mais "feminista" de Cinderella, recomendo muito.
    Sem contar com o fato de ser com a Drew Barrymore que é demais! ;)

    Bjaooo

    ResponderExcluir
  3. Eii! Amo a Bela a Fera, tô doida pra ver esses remakes, principalmente o da Emma Watson, que eu nem sabia, fiquei sabendo pelo seu post, hahaha.
    Beeijos

    ResponderExcluir