quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Coming Soon - 10 séries que prometem em 2012

.
Não sei você, mas às vezes eu fico pensando em possíveis ideias para filmes. Histórias que dariam um bom drama, ou situações cotidianas que até fazem você parecer uma personagem de uma comédia tosca qualquer, enfim, de vez em quando vem à cabeça uma ou outra coisa que eu penso que seriam interessantes se fossem filmadas. Mas dois segundos depois eu vejo que, na verdade, elas não têm muito fundamento, eu não tenho a imaginação muito fértil, e, obviamente, pra arrastar uma trama em um filme de umas duas horas, ela tem que ser boa.

Imagina então pra fazer uma série, que pode durar anos. Eu sempre pensei que deve ser muuuuuuito mais difícil, porque pra fazer um episódio por semana, de meia hora ou uma hora, tem que ter uma cabeça absurdamente criativa, uma imaginação genial, ser um ser humano com um talento descomunal pra escrever roteiro.

Mas não sei, vai ver escrever uma série não exige taaanto esforço assim. Cheguei a essa linha de pensamento depois de ver a enooorme lista de pilotos de séries que devem estrear na tv americana a partir de setembro deste ano. Não sei da onde esse povo vai tirar tanto plot para os episódios, mas já deu pra ver que tem muita coisa bacana sendo produzida.

Escolhi os dez pilotos que mais me chamaram a atenção como séries que prometem nos conquistar na próxima Fall Season. Olha só:


American Judy (ABC)
Com: Judy Greer (de Two and Half Men, Os Descendentes, Vestida Pra Casar, De Repente 30, etc)
Sobre: uma mulher urbana que se casa e fica perdida quanto tem que ir morar longe da cidade, lidar com enteados, sogra, ex-mulher e um marido xerife.
Por que deve ser legal: Porque é uma série baseada na vida da própria Judy Greer, uma das atrizes mais divertidas e com mais cara de gente boa que eu me lembro. Ela, que sempre fez papéis coadjuvantes, tem tudo pra decolar como protagonista dessa série.

Carrie Diaries (CW)
Com: ainda sem elenco (tenho minhas sugestões), mas com roteiro de Amy Harris (de Gossip Girl) e produção de Candace Bushnell, a autora de Sex and the City
Sobre: a minha, a sua, a nossa querida Carrie Bradshaw ainda na adolescência e começo da vida adulta, com suas primeiras experiências marcantes em relação a amor, sexo, profissão, amigas, etc.
Por que deve ser legal: apesar de não ser desenvolvida pela HBO, como o SATC original, quem é fã da série mesmo deve curtir de qualquer jeito o tratamento teen que a CW provavelmente vai dar à trama. E, se a série for tão boa e viciante como os livros (Os Diários de Carrie e Summer in the City), tem tudo pra ser um sucesso.

Super Fun Night (CBS)
Com: Rebel Wilson, de Bridesmaids, que também escreve e produz a série.
Sobre: três amigas nerds que se propoem a ter uma noite divertida em toda noite de sexta-feira.
Por que deve ser legal: três amigas nerds tentando se divertir = galerinha da pesada aprontando altas confusões = vai dar merda e a gente provavelmente vai rir. E tô torcendo pra que tenha Last Friday Night na abertura.

Gilded Lillys (ABC)
Com: Blythe Danner, Sarah Bolger, Madeline Zima
Sobre: a abertura do primeiro grande hotel de luxo em Nova York, em 1895, e tem como plano principal histórias de amor, rivalidades de família, segredos, conflitos de classe, por aí vai.
Por que deve ser legal: é Nova York, em 1895, explorada numa trama com provavelmente muitas reviravoltas e episódios que deixam a gente de boca aberta com as revelações. E claro que o figurino deve ser absurdo de lindo.

The Smart One (ABC)
Com: Portia de Rossi, Ellen DeGeneres como produtora
Sobre: uma mulher brilhante, bem-sucedida, que se vê obrigada a ir trabalhar com a irmã menos inteligente e mais popular e bonita, que virou prefeita de uma cidade grande.
Por que deve ser legal: parece uma comédia de anti-heroína, uma tendência que muito me agrada. E, se tiver metade do humor que Ellen Degeneres exibe em seu programa, já vai render ótimas risadas!


Let It Go (FOX)
Com: Zachary Levi
Sobre: um casal, o melhor amigo dele e a irmã dela, que tentam lidar, negociar, manipular e sobreviver às regrinhas da sociedade.
Por que deve ser legal: a descrição é bem vaga, o que dá a entender que essa é uma série sobre o cotidiano de pessoas comuns, de gente como a gente que tenta viver bem nesse mundo cão. Acho que tem tudo pra ser adorável e divertida.


Friend Me (CBS)
Com: ainda sem elenco confirmado.
Sobre: dois amigos de 20 e poucos anos que se mudam de uma cidade do interior pra Los Angeles para trabalhar no Groupon.
Por que deve ser legal: acho legal quando uma série ou filme resolve explorar alguma tendência muito forte no mundo, principalmente se for uma tendência de internet. Fazer uma comédia envolvendo o Groupon pode ser uma boa sacada. E também acho que pode ser divertido explorar o começo da vida profissional de dois jovens.

Ainda sem título (CBS)
Com: Michael Angarano, Chris Smith, Randall Park
Sobre: um casal na casa dos 20 anos que termina o namoro, e, mesmo separados, têm que trabalhar com apenas uma baia de distância numa agência de publicidade.
Por que deve ser legal: quem nunca viveu uma situação pelo menos minimamente parecida, né gente? Fico curiosa pra ver como essa história de ter que continuar vendo e lidando com um ex vai se desenvolver. Me parece uma comédia sobre relacionamento que soube olhar pra um ponto interessante e ainda não muito explorado, o que já conta muitos pontos.


Ainda sem título (FOX)
Com: Mindy Kaling, que também escreve e produz a série.
Sobre: uma personagem tipo Bridget Jones, que tenta conciliar a vida profissional como médica obstetra num pequeno consultório com a vida pessoal zoada.
Por que deve ser legal: podiam falar que é uma série sobre aliens zumbis, se é com a Mindy Kaling, eu quero ver. Ela é muito talentosa, muito engraçada, muito gente boa, e acho que uma série no estilo comédia romântica combinada com a inteligência dela é uma ideia perfeita. Sem dúvida é a que eu tô mais ansiosa pra ver no que vai dar.


Joey Dakota (CW)
Com: ainda sem elenco definido. 
Sobre: uma história de viagem no tempo com romance e música. Uma documentarista decide voltar aos anos 90, quando ela conhece e se apaixona pelo rockstar que é o personagem de seu documentário. Quando ela retorna ao presente, precisa achar um jeito de se reunir com seu amor e evitar sua morte.
Por que deve ser legal: ok, concordo que é uma trama muito louca e um tanto complexa, o que torna dificil de esse negócio dar certo. Mas acho a combinação "menina que faz documentário apaixonada por rockstar nos anos 1990" uma coisa tão amor que tô querendo muito, muito que essa série preste, viu!


Depois disso, só consigo chegar a uma conclusão: vai faltar tempo pra ver tanta série :]

Nenhum comentário:

Postar um comentário