terça-feira, 24 de abril de 2012

5 discos para prestar atenção nessa temporada

.
Nunca foi muito meu forte conhecer cds inteiros de um artista ou banda. Mal sei o nome de alguns discos dos Beatles, fico algum tempo pra identificar de qual cd são as minhas músicas preferidas do Foo Fighters - isso porque eu digo que é a minha banda preferida - e nem me lembro, de verdade, qual foi o último cd que eu comprei pra mim. É bem possível que tenha sido o Chiquititas Volume 4 :S

Mas o fato é que, sendo muito ligada em música ou não, nos próximos meses vai ter tanto cd bom sendo lançado que vai ser tipo muito difícil não reparar, não ouvir, não ficar sabendo da onde estão vindo os novos hits que vão ficar em looping eterno na minha, na sua, nas nossas vidas.

A Rolling Stone fez uma lista completíssima com todos os cds mais importantes que chegarão às lojas neste outono. Eu selecionei aqui os que mais me chamaram a atenção, os que eu já estou amando mesmo só tendo ouvido uma ou outra faixa. Olha só:


Norah Jones - Little Broken Hearts


Sempre coloquei a Norah Jones na mesma categoria que eu coloco Michael Bublé: eu sei que ambos são bons, talentosos, fazem músicas ótimas, mas por algum motivo eu não me interesso, não tenho vontade de baixar, não sou fã. Até hoje. O novo cd dela, Little Broken Hearts, é uma coisa linda de Deus.  Músicas que são uma delícia, e que, quando você vê, já tá cantando junto.

Quando sai: 1º de maio

Já vai escutando: Happy Pills, o primeiro single do cd, que é extremamente viciante, extremamente bom.

Carrie Underwood - Blown Away


Se a Norah Jones tem uma coisa toda fofa, calminha, serena mesmo nas músicas em que tá detonando um cara, Carrie Underwood já é quase que o oposto. Explosiva, intensa, com músicas de personalidade forte e bem gritadas, eu a considero um tipo de Kelly Clarkson mais country. E como já deixei claro meu amor pela dona de Since You Been Gone, se o cd da Carrie for no mesmo estilo, vai ser impossível não amar também, né?

Quando sai:1º de maio

Já vai escutando: Good Girl

John Mayer -Born and Raised


Qualquer atualização ou novidadezinha que sai sobre esse lindo do John Mayer já é suficiente pra chamar a atenção. Saber que tem um cd dele de inéditas prontinho, prestes a ser lançado, então, é pra comemorar pelo resto do ano. Apesar de ainda estar enfrentando um problema na garganta, os boatos são de que até nisso ele conseguiu se superar, e deixou a voz um pouco mais rouca nas músicas. Como resistir?

Quando sai: 22 de maio

Já vai escutando: Shadow Days

Best Coast - The Only Place 
 

Best Coats é uma bandinha indie no estilo dessas que eu já falei aqui. Ficou mais conhecidinha no ano passado com um clipe com historinha no esquema de Romeu e Julieta, dirigido por Drew Barrymore, que, além de tudo, tem como background a ótima música que fez as pessoas prestarem mais atenção na banda. O novo cd promete ser uma coisa mais comercial, com o mesmo produtor do Kanye West e algumas participações especiais.

Quando sai: 15 de maio

Já vai escutando: The Only Place

Maroon 5 - Overexposed


Não preciso ficar dando mil razões pelas quais a gente vai querer ouvir o novo cd da ótima, ótima banda pop Maroon 5. É só ter o lindo do Adam Levine cantando que já tá tudo certo.

Quando sai: 26 de junho

Já vai escutando: Payphone, a música mais pop e grude e impossível de não gostar dos últimos tempos.

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Top 5 musical - 5 hinos do stalker


The Police - Every Breath You Take


U2 - I Will Follow You


Blondie - One way or another


Clarice Falcão - Macaé


Foo Fighters - Walking After You

terça-feira, 17 de abril de 2012

Quem lembra? As bandas da pré-adolescência

.
Há algumas semanas, comecei aqui uma série (com número de posts indefinidos, veja como sou bem planejada #not) de posts - a qual eu passarei a chamar de "Quem lembra?"- pra relembrar gente ou produções que fizeram parte de nossas vidas pré twitter, facebook, instagram, blablabla. Daí que, nessa semana, ouvindo músicas antigas de bandinhas que eu curtia nos meus 11, 12 anos, decidi fazer um combo falando mais sobre cada uma delas aqui.

Veja então se você lembra (com tanto carinho quanto eu) das bandas que fizeram a minha pré-adolescência - e possívelmente a sua infância, pré-adolescência e adolescência também, mas que agora a gente só ouve nos especiais de anos 90 da MTV e Mix TV:

Creed


O que era o Creed?
Creed era uma banda que nasceu em 1995 no estado da Flórida, EUA, e que tinha um som chamado de rock pots-grunge, apesar de eu achar que de grunge mesmo esses caras só tinham o cabelo. Fizeram muito sucesso no fim dos anos 90/começo dos anos 2000, chegando a vender mais de 40 milhões de cds no mundo todo - mas a gente conhece mesmo porque fez parte da trilha sonora de Malhação na época.

Marca registrada: O vocalista, Scott Stapp, é a cara, a voz, a breguice e a marca registradíssima do Creed. São dele as expressões mais sofridas da história dos videoclipes e a voz marcante, imitada até pelo meu querido Dave Grohl.

Música-hino: With Arms Wide Open (outras que tocaram muito: My Sacrifice, One Last Breath, Don't Stop Dancing)


Que fim levou?
Eu me lembro de quando a banda anunciou que estava entrando em hiato, isso foi em 2004, e daí então achei que tinha acabado. Qual foi a minha surpresa quando, fazendo esse post, descobri na Wikipédia que os caras se reuniram em 2009 e até lançaram um cd! No mesmo ano, eles gravaram um dvd, Creed Live, depois de anos e anos longe dos palcos.

Nickelback


O que era o Nickelback?
Nickelback é'úma banda do Canadá , de quatro integrantes, com um som caracterizado de hard rock/rock alternativo, formada em 1995, famosa a partir de 2001 e que pode se gabar de ter muitos, muitos hits de sucesso ao longo de todos esses anos.

Marca registrada: A voz grossa e levemente gritada do vocalista. E seus cabelos loiros e enrolados, Biro-Biro style, também.

Música-hino: How You Remind Me. (Outras que tocaram muito: Far Away, Rockstar, Someday)


Que fim levou?
O Nickelback pode super ser considerada a banda mais bem sucedida dessa minha listinha aqui, porque, de todas, é a única que ainda tá viva, colocando música nova pra tocar na rádio. Todo cd que eles lançaram na última década rendeu pelo menos um single bom, que todo mundo conhece/sabe cantar. Se as músicas atuais são da mesma intensidade e qualidade de quando eles começaram a fazer sucesso eu não sei, mas Nickelback ainda é uma banda bastante em atividade. A última vez em que a mídia deu mais atenção aos caras foi quando um dos integrantes do Black Keys disse à Rolling Stone que o Nickelback era a pior banda do mundo.


Goo Goo Dolls


O que era o Goo Goo Dolls?
Goo Goo Dolls é uma banda americana que lançou o primeiro cd em 1987 (!). Com um pop rock alternativo, eles alcançaram o sucesso nos anos 1990. Apesar de já terem lançado mais de 10 cds na carreira, o mais famoso, o que tem mais singles, o melhor mesmo é o Dizzy Up the Girl, de 1998. 

Marca registrada: as ótimas lovesongs, com letras realmente muito boas e melodias gostosas, que até dá pra cantar junto sem 1) chorar 2) parecer brega.

Música-hino: Iris, sem a menor dúvida. Quem assistia o programa Fica Comigo, na MTV, sabe bem que não tinha um pretendente que não pedia essa música antes de beijar a pessoa no final, lá pelos idos de 2000. Foi trilha do filme Cidade dos Anjos, daí as cenas do clipe. (Outras que tocaram muito: Black Balloon, Slide, Big Machine).

Que fim levou?
Depois do sucesso até, sei lá, 2002, 2003, o Goo Goo Dolls meio que sumiu. Lançaram uns cds de greatest hits, e o mais recente de inéditas é de 2010, mas aparentemente ninguém falou muito sobre isso. O que eu acho uma pena, das bandinhas de rock romântico, Goo Goo Dolls era a melhor #voltaGooGooDolls. Atualmente, eles fazem uma ponta no show da Taylor Swift de vez em quando.


Silverchair


O que era o Silverchair?
Silverchair era uma banda - na verdade um trio - da Austrália, formada em 1992. Começaram fazendo um som mais puxado pro grunge, inspirado por Nirvana, Pearl Jam. Mas o sucesso mesmo veio no fim dos anos 1990, com músicas mais pop. Mas uma das características da banda é experimentar estilos diferentes em cada cd.

Marca registrada: O vocalista, Daniel Johns e seus cabelos loiros esvoaçantes (que vieram depois de Kurt Cobain, mas ainda antes dos Hanson popularizarem o corte). É pensar em Silverchair e lembrar imediatamente da cara dele.

Música-hino: Pra mim, é de longe Miss You Love, uma das músicas mais clássicas que as pessoas acham linda, até verem a letra e descobrirem que é mais pesada do que parece. (Outras que tocaram muito: Ana's Song, Tomorrow, Without You).


Que fim levou?
O Silverchair lançou um cd até bem comentado na época, o Diorama, em 2001, e passaram pelo Brasil pra fazer show em 2001, no Rock in Rio, e em 2003. Em meio a muitos projetos paralelos, os integrantes  se reuniram em 2005 e lançaram uma ou outra coisa até 2011, quando decretaram "hibernação por tempo indeterminado".


The Offspring


O que era o Offspring?
Offspring era uma banda de punkrock da Califórnia, que existe desde 1984. É a banda com o som mais pesadinho dessa lista, mas ainda assim, incrivelmente divertido. O cd mais famoso e mais sucesso do Offspring é Americana, de 1998.

Marca registrada: O estilo do vocalista, Dexter Holland, com cabelo loiro arrepiado, camisetas ou camisas de manga curta, bermuda e tênis com meia até a canela! Bem skatista, bem rockeirinho do final dos anos 90, inconfundível.

Música-hino: Pretty Fly (For a White Guy), considerada a música mais baixada da história da internet, com 22 milhões de downloads no mundo todo em apenas 10 semanas. (Outras que tocaram muito: Why Don't You Get a Job?, The Kids Aren't Allright, Hit That).

Que fim levou?
Até os idos de 2004, eu me lembro de ver clipe do Offspring no Disk MTV. Depois disso, alguns integrantes saíram da banda pra se dedicar a outros projetos. o último cd é de 2008, e desde então não se ouve mais falar da banda. Por onde anda o Offspring? Um beijo, Offspring!

Outras bandas dessa mesma época que fizeram história e merecem pelo menos uma menção honrosa: Smash Mouth (a banda do hit All Star), Limp Bizkit (que eu nem gostava, mas aparentemente todo mundo considerava boa, porque Behind Blue Eyes tocava direto), Linkin Park (que ainda tá aí na atividade, mas que era muito melhor nos tempos de In the End). E você, lembra de mais alguma?

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Duas comédias românticas e uma série pra querer ver agora!

.
Eu não sei se sou só eu que tô meio desligada ou se realmente 2012 tá um ano super fraco pra comédias românticas. Não sei você, mas eu não consigo me lembrar de nenhum filme desse estilo realmente bom ou pelo menos um pouco memorável que eu tenha visto esse ano. Tá crítica a coisa pra quem precisa de ideias e materiais novos sobre o assunto para posts, né, haha :S

Mas ao que tudo indica, tem algumas produções chegando por aí que prometem gerar bastante entretenimento e tirar a indústria das comédias românticas desse marasmo! Assisti os trailers semana passada e não consegui me conter e guardá-las para os queridos posts estilo Coming Soon, tive que fazer esse post agora mesmo. Então olha aí os dois filmes e a série que mais me deixaram empolgada pra querer assistir:

"Entre o Amor e a Paixão"


A primeira coisa que eu e a grande maioria das pessoas que veem o trailer desse filme reparam (de acordo com comentários do Youtube) é na música incrivelmente ótima e fofa que escolheram pra trilha sonora - e assim o filme automaticamente já ganha muitos pontos.

Mas não é só isso (polishop feelings)! A trama é muito boa, com aquele tipo de história que a gente não sabe se torce pra que termine de um jeito ou de outro, não sabe se ama ou se fica com raivinha da protagonista, hahah. Nesse caso, a protagonista é vivida por Michelle Williams, que faz brilhantemente o papel de mulher fofa, fofa até dizer chega, que aparentemente vive num casamento feliz e cheio de amor com um cara super legal. Até que conhece um outro cara super legal (e gato) que balança seu coração.

Senti um clima meio "A Vida da Gente", não por ter a ver com a novela, mas por mostrar um tipo de situação na vida em que pessoas boas se envolvem em relacionamentos que fogem do controle, das regras e dos julgamentos da sociedade. Sem falar que, só pelo trailer, já dá pra se apaixonar pelas cenas, as cores, o estilinho do filme. Tô realmente louca pra ver.

"Lola Versus"


Eu não sei, eu acho que tenho um gosto muito estranho, porque todo filme que eu vejo a protagonista se ferrando, passando por poucas e boas, se auto-zoando das mais variadas e nonsense formas possíveis, eu automaticamente já tô considerando meu próximo filme favorito. Lola Versus tem tudo isso e mais um pouco.

A história é a da mulher (a tal da Lola) cujo noivo termina a relação semanas antes do dia do casamento e pouco antes de ela completar 30 anos. Quer dizer, pensa numa pessoa em crise, né. Daí que a Lolla precisa aprender a levantar, sacodir a poeira e dar a volta por cima, o que, obviamente, não vai ser fácil, mas pelo trailer dá pra ver que vai ser bem engraçado.

Se você ainda não se convenceu, outros atrativos do filme, na minha opinião: trilha sonora (a música delicinha do filme é Go Outside, do Cults), o cenário - o filme se passa em Nova York - e o fato de Lola ser mais uma linda representante daquelas personagens tipo anti-heroína =)

"Girls"


Chega a ser ridículo o tanto que a gente, mesmo que às vezes inconscientemente, busca identificação nas histórias e nos personagens que a gente vê na tv e no cinema.E dizem que esse é o segredo do sucesso de muitas dessas produções. Se for mesmo, prepare-se, a nova série que vai conquistar seu coração pode ser Girls.

A imprensa estrangeira tá chamando de o Sex and the City das meninas de 20 anos, pra você ter uma noção. Tudo bem que já falaram isso de Gossip Girl, mas "Girls" realmente parece ter potencial para, ao mesmo tempo, mostrar a realidade cruel da nossa geração e nos proporcionar entretenimento da melhor qualidade.

A série gira em torno de uma menina de 24 anos que não lembra em nada o glamour de Carrie Bradshaw e é meio que forçada pela vida a morar sozinha, arrumar um emprego, pagar as contas, lidar com as amigas, com os garotos, com a juventude que ela obviamente não sabe administrar. A boa notícia é que já estreou nesse domingo! Todas baixa em 3, 2, 1... ;)

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Meme da Mixtape

.
Dia desses, perambulando por essa internet de meu deus, me deparei com um site que teve a iniciativa linda de misturar duas coisas que eu acho uma delícia: memes e mixtapes. Como não amar?

O tal site é o Listeny, e o meme consiste numa listinha de 20 músicas que você tem que completar com as que você mais gosta e que mais têm significado na sua vida. Veja quais são as "categorias":

1- Uma música pra animar pela manhã
2- Uma música que é perfeita para um dia de chuva
3- Uma música que lembra sua infância
4- Uma música que está entre as suas melhores de todos os tempos
5- Uma música feliz
6- Uma música descoberta em um filme
7- Sua música favorita dos Beatles
8- Uma música de um dos primeiros discos que você lembra ter ouvido inteiro
9- Uma música cover
10- Uma música de um artista/banda que você não costuma gostar, com exceção dessa
11- Uma música do último cd que você comprou/ouviu
12- Uma música que você descobriu numa playlist que alguém te deu
13- Uma música triste de amor
14- Uma música sobre uma garota
15- Uma música sobre um garoto
16- A música favorita do seu ex (sua ex)
17- Uma música com a palavra 'Don't" no título
18- Uma música com uma cor no título
19- Uma música estranhinha mas fofa
20- Uma música que faz você olhar para o horizonte e sorrir

Achei isso tudo uma coisa assim, tão legal, tão divertida, tão amor, que obviamente tive que fazer a minha própria playlist:



O detalhe fofo é que o título tem que ser uma quote de algum filme! Eu escolhi I gave her my heart, she gave me a pen, de "Digam O Que Quiserem".

1- Daylight - Matt and Kim
2- Warwick Avenue - Duffy
3- I'll Be There - Michael Jackson
4- Fly Away From Here - Aerosmith
5- Girls Just Wanna Have Fun - Cyndi Lauper
6- There's A Light That Never Goes Out - The Smiths
7- Here Comes The Sun - The Beatles
8- All My Life - Foo Fighters
9- Sea of Love - Cat Power
10- Sex on Fire - Kings of Leon
11- National Anthem - Lana Del Rey
12- Just Like Heaven - The Cure
13- Who Knew - Pink
14- Valerie - Amy Winehouse
15- Hey Stephen - Taylor Swift
16- When the Sun Goes Down - Artic Monkeys
17- Don't Look Back in Anger - Oasis
18- That Green Gentleman - Panic at the Disco
19- I Would Do Anything For Your - Foster the People
20- Hand in my Pocket - Alanis Morissette

Não vou repassar o meme pra ninguém em especial, mas sinta-se à vontade para compartilhar quais seriam suas escolhas musicais! ;D

terça-feira, 10 de abril de 2012

Pensamento do dia

.


Devido a motivos de força maior (ou seja, o combo ressaca do feriado + semana de provas + muito trabalho + pouquíssimo tempo), a programação de posts aqui tá meio devagar :S mas muito em breve voltarei à workaholicidade de costume, fiquem ligadinhos ;]

segunda-feira, 9 de abril de 2012

No Repeat (eterno)

.


Eu tenho vontade de gritar e chorar o tanto que eu gritei e chorei nessa hora toda vez que vejo esse vídeo. Não tô conseguindo voltar pra realidade ainda, então o post de hoje fica por aqui.

Maas, escrevi resenhas modestamente bem decentes sobre os dois principais shows do Lolla para quem se interessar: Foo Fighters e Artic Monkeys =D

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Essa é a vida que eu quis

.


Acho que, vai ver pela primeira vez, esse título "essa é a vida que eu quis" representa a vida que eu realmente vou ter a partir de hoje! Fim de semana recheado de shows incríveis, incluindo o da minha banda preferida, precisa mais? Bom feriado pra você também :D

quarta-feira, 4 de abril de 2012

5 ótimas músicas feitas para filmes

.
That Thing You Do - The Wonders
do filme The Wonders - O Sonho não Terminou


Mrs Robinson - Simon and Garfunkel
do filme A Primeira Noite de um Homem


Moon River - Audrey Hepburn
do filme Bonequinha de Luxo

Can't Help Falling in Love - Elvis Presley
do filme Feitiço Havaiano


Don't You Forget About Me - Simple Minds
do filme O Clube dos Cinco

terça-feira, 3 de abril de 2012

Filmes para curtir uma fossa

.
Semana passada, tive mais uma vez aquele fenômeno em que um assunto fica me perseguindo até que eu sinta necessidade de postar sobre ele. Primeiro foi uma amiga confessando que ficou na fossa por causa de um cara bem retardado (por um dia, mas enfim, ficou). Depoi, li um trechinho de um texto da minha nova autora/escritora/blogueira/seilá preferida, a Camila Fremder, que dizia assim: “Minha última dor boa, e a mais temida por todos, é a dor do “pé na bunda”. Eu sei, a gente sofre muito quando leva um fora, mas diz aí se não é uma delícia ficar na cama vendo filme depressivo, comendo besteira, com a roupa mais feia do armário, cutucando uma afta, ou puxando uma pelinha? Nossa, já curti horrores assim…”.

Eu não sei bem o que pensar sobre essa questão da fossa. Costumo dizer que só deve ser bom, bom mesmo, pra quem é artista e consegue transformar tristeza em dinheiro (oi, Adele). Se não for o caso, eu entendo a dor de amor meio que como um beijo de um dementador: parece que a gente sente que nunca mais vai ser feliz, né? :S

Mas, mesmo assim, mesmo neste fundo do poço do coração, é inexplicável a vontade que dá de achar algum sentido no mundo pra tudo aquilo que a gente está passando. E geralmente o sentido e a identificação estão onde? Na cultura, claro. Música, cinema e literatura sabem muito bem como trabalhar com a melancolia dos corações apaixonados, não é verdade?

Daí que eu resolvi seguir o relato da Camila Fremder e fazer aqui uma seleção com filmes pra quem está na fossa, ou muito carente, aproveitar e curtir esse momento, se é que isso é possível de fato, hahaha. Nem todos são depressivos (nada de PS: Eu Te Amo, é hora de trocar o dvd) ou "choque de realidade" (não espere ver Ele Não Está Tão a Fim de Você aqui, vamos ter um pouco de piedade, né) mas todos certamente vão provocar reações fortes no seu já castigado coraçãozinho.




Do que se trata: "Um jovem rapaz americano e uma jovem britânica conhecem-se na faculdade e se apaixonam. Seu amor é testado quando ela é banida dos EUA e eles têm que enfrentar os desafios de um relacionamento de longa distância."

Qual vai ser a sua provável reação: Se você já passou por uma situação de namoro à distância, você vai morrer. Se não, mesmo assim vai sentir muito a angústia de um casal fazendo de tudo pra um relacionamento dar certo, mas se perdendo diversas vezes pelo caminho.

Por que combina com o momento: porque quando a gente está triste, decepcionada, não dá muita vontade de ver algo muito feliz e alegre. E esse filme passa bem longe de ser uma história de amor perfeita. Os dois passam por tantas confusões mentais, tantos problemas, tantas reviravoltas, que no final você nem sabe se entende o que seria melhor pra esse relacionamento. É o tipo de história tão complicada que as pessoas contam pra que você sinta que o seu caso nem foi tão difícil assim :/





Do que se trata: "Melhores amigos enquanto cresciam, Emma e Will perderam contato um bom tempo atrás-até onde ela sabe. Para Will, Emma nunca deixou de ser a pessoa mais importante da sua vida. Acreditando que eles estão ligados para sempre, ele vai aonde ela vai."

Qual vai ser a sua provável reação? Primeiro, você não vai se aguentar com a fofura do garoto. Mas depois, vai perceber que nem sempre amor demais é uma coisa boa…

Por que combina com o momento: Esse filme confunde os sentimentos de quem assiste. Vai ver porque é um dos filmes com os personagens mais confusos e estranhinhos ever. Tem várias questões que vão fazer você pensar, tipo: é amor ou obsessão? Amor platônico: até quando? Você está vivendo uma relação doentia e não se tocou? Não,o filme não te dá todas essas respostas,mas o final bem digno e fofo faz valer a pena :)


Do que se trata: "É uma espirituosa história sobre casamentos que não vão bem. Casais insatisfeitos tentam fugir de suas relações e criam situações em torno deles mesmos para escapar de suas realidades sem graça."

Qual vai ser a sua provável reação? A princípio, você vai se iludir. Mas calma, o filme também tem sua cota de realidade cruel.

Por que combina com o momento: Woody Allen sabe falar como ninguém de relacionamentos problemáticos. Em "Você Vai Conhecer o Homem dos Seus Sonhos", eles são vários, pelo menos um vai tocar seu coração (de uma forma leve, sem destroçá-lo ;). E o legal é que dá pra você enxergar os erros de uma relação de fora, sem estar tão envolvida. Woody também brinca muito com o escapismo e a ilusão nesse filme, no sentido de acreditarmos em algo só baseados na vontade que temos de que aquilo aconteça. E isso é ótimo pra abrir um pouco os nossos olhos. 


Do que se trata: "Uma escreve uma coluna sobre casamento bastante conhecida no Daily Telegraph, de Londres, e está apaixonada por um cara que está noivo. A outra, dona de uma próspera agência de publicidade especializada na produção de trailers, após descobrir que seu namorado Ethan não tem sido fiel, encontra na internet um site especializado em intercâmbio de casas. As duas entram em contato e combinam a troca de suas casas. Logo a mudança trará reflexos na vida amorosa de ambas."

Qual vai ser a sua provável reação? Vai se identificar no começo e vai se iludir que ainda existe amor verdadeiro no final, mas calma,  não é um romance açucarado a ponto de você ter vontade de se matar com a faca da cozinha.

Por que combina com o momento: Eu não ia recomendar nenhuma comédia romântica óbvia nesse post aqui, mas de O Amor Não Tira Férias não tem como fugir. Acho um filme muito legal porque é como se funcionasse um pouco como a auto-ajuda para pessoas na fossa. Duas mulheres que se deram muito, muito mal no amor aprendem a dar a volta por cima e serem mais felizes. Tudo bem que isso não quer dizer que e só você largar o seu boy lixo atual que daqui a pouco vai aparecer um Jude Law na sua vida (seria bom), mas faz a gente ver que renunciar de vez a algo que nos faz mal pode ser a melhor escolha que a gente tem a fazer.


Do que se trata: "Casablanca é a rota obrigatória de quem está fugindo dos nazistas na Segunda Guerra Mundial. É lá que Rick vai reencontrar Ilsa, anos depois de terem se apaixonado e se perdido em Paris.

Qual vai ser a sua provável reação? Se você for uma pessoa com coração, você vai se emocionar. Muito choro no final é uma possibilidade, dependendo do nível da sua fossa."

Por que combina com o momento: Porque é uma história de amor que não tem como culpar ninguém, a não ser a vida, ridícula, que cisma em separar quem merecia ficar junto. Pode parecer um drama menos intenso, mas na verdade, quando é assim, dói muito mais simplesmente porque não tem o que fazer a não ser fazer a coisa certa (que, cá entre nós, nunca deixa ninguém feliz, né). Casablanca vale a pena ser assistido no período de fossa pra você chorar e viajar nos seus pensamentos o quanto quiser. Pra depois enxugar as lágrimas, levantar e seguir em frente, sabendo que, mesmo não tendo dado certo, vocês sempre terão ________ (no caso do filme, Paris, mas insira aqui o local de sua preferência) ;)


Do que se trata: "Em 1937, Katie, uma judia comunista, desperta a atenção de Hubbell, um protestante de uma rica família. Cada um segue seu caminho, ele se dedicando a escrever e ela trabalhando em uma rádio. Quase oito anos depois os dois se encontram por acaso. Provavelmente por serem bem diferentes, os opostos se atraem os dois se apaixonam. Porém, por viverem em "mundos diferentes", conflitos surgem a todo momento, e a relação se torna cada vez mais complicada."

Qual vai ser a sua provável reação? Não recomendo esse filme se a fossa estiver muito, muito forte. Porque se o seu coração já está partido, prepare-se para quebrá-lo mais um pouquinho. E vai doer.

Por que combina com o momento: Sabe aquela história de amor em que tá tudo errado, já começou tudo errado, mas mesmo assim a gente queria tanto, mas tanto, que desse certo? É isso que acontece em Nosso Amor de Ontem. Você vai sentir aquela dorzinha que incomoda, aquela sensação de inconformidade, ao ver duas pessoas que poderiam ser ótimas juntas, mas que por algum ou vários motivos, não conseguem. Esse filme inclusive é tema de um dos melhores episódios de Sex and the City, e Carrie Bradshaw pode explicar muito melhor do que eu o que a gente sente com esse filme :(((


Olha só digo uma coisa, a mulher apaixonada e não correspondida que assistir a essa maratona de filmes e sobreviver tá de parabéns, viu. Isso que é ser guerreira, o resto é bobagem.

segunda-feira, 2 de abril de 2012

A cantora certa para cada estado de espírito

.
Os homens adoram trollar a nós, mulheres, dizendo que a gente muda de humor toda hora, que a gente é bipolar, e quando nós estamos na tpm então, somos uma caixinha de surpresas de sentimentos. Eu acho que rola um certo exagero e mimimi aí, mas no fundo, é bem verdade que a gente pode, sim, passar de felicidade absoluta pra melancolia profunda em poucos segundos (e, muitas vezes, a culpa é deles).

Mas então, se ser mulher envolve ter um jogo de cintura tão incrível pra conseguir lidar com situações que mexem com a gente de diferentes formas todos os dias, a gente podia pelo menos ter uma musiquinha decente pra nos acompanhar nesses momentos, sim ou claro?

Por essas e outras que eu venho por meio deste apresentar uma pequena listinha de cantoras que têm características marcantes em suas músicas, e que podem combinar perfeitamente com o seu estado de espírito em diferentes períodos. Dá o play:


Taylor Swift: Falar sobre relacionamentos com as amigas é uma das coisas mais legais que tem. E eu queria MUITO ser amiga da Taylor Swift, porque se ela souber conversar sobre os "assuntos do coração" como mostra em suas músicas, gente, que incrível. Eu falo isso e as pessoas não me levam a sério, mas eu de fato acho Taylor Swift uma gênia. Em suas composições, ela consegue ser colocar tanto sentimento, tanta sinceridade e ser tão absolutamente fofa que eu realmente não sei como não amar e admirar.

O que ouvir: o melhor da Taylor (já sou íntima, bjs) é que ela não é só a apaixonadinha abestalhada ou a traída revoltada. Ela sabe fazer músicas de amor para diferentes fases de uma relação. Então, se estiver se sentindo feliz e encantada cm o bofe, ouça Sparks Fly, Ours e Enchanted. Se estiver com raivinha do imbecil, ouça You'Re Not Sorry, The Story of Us e Mean. E se não tem jeito, você não consegue evitar de sofrer pelo idiota amado, o jeito é ouvir (e chorar com) Teardrops on My Guitar, You Belong With Me e Forever & Always.

Se gostar do estilo de Taylor Swift, ouça também: Pixie Lott.


Kelly Clarkson: Se psicóloga eu fosse, super receitaria muita Kelly Clarkson para mulheres com problemas de auto-estima e personalidade fraca. A cantora tem um quê de feminismo super forte, mas não forçado, e faz qualquer uma de nós ter orgulho de cantar (ou melhor, gritar) junto com ela as suas músicas poderosas. Se você acha que "Extravasa" é coisa de Claudia Leitte, tá precisando rever seus conceitos. Kelly Clarkson faz isso muito melhor ;)

O que ouvir: Stronger (What Doesn't Kill You), Never Again, Since U Been Gone, Don't Let Me Stop You.

Se gostar do estilo de Kelly Clarkson, ouça também: Carrie Underwood.


Alanis Morissette: Se eu ainda usasse o Orkut, certeza que já teria criado a comunidade "Alanis Morissette me entenderia". E certeza que já teria um bom número de membros, porque olha, Alanis tem aquela coisa de conseguir transformar algo banal em algo brilhante. Seja nas músicas em que fala de amor ou nas músicas em que fala sobre a vida em geral, ela tem um olhar sobre a realidade em suas letras que ninguém mais sabe mostrar em forma de música.

O que ouvir: Ironic, Hand in My Pocket, You Oughta Know.

Se gostar do estilo de Alanis Morissette, ouça também: Sarah Bareilles.


Katy Perry: Uma das cantoras pop mais em evidência desde que começou a fazer sucesso, eu acho que Katy Perry cumpre com louvor o que se espera dela: faz músicas absolutamente divertidas, perfeitas para quem está numa vibe fofa e despreocupada, muito bem, obrigada. Se você tá a fim de ser feliz e aproveitar a vida sem nenhuma música de fossa pra incomodar, Katy é a melhor opção.

O que ouvir: Hot n Cold, Teenage Dream, Firework.

Se gosta do estilo de Katy Perry, ouça também: Pink.


Lady Gaga: Não são só os gays que podem se sentir amados e queridos por Lady Gaga. Você, mulher, também pode buscar abrigo nas músicas da louca quando estiver meio de bode, meio de mal com a vida, seja por causa da sua aparência ou por causa de uma relação que não deu certo. Com um monte de música pra cima, com ritmo perfeito pra dançar (leia-se também "soltar a franga como se não houvesse amanhã"), só fica deprê quem não tem Lady Gaga no player.

O que ouvir: Born This Way, The Edge of Glory, Telephone.

Se gosta do estilo de Lady Gaga, ouça também: Beyoncé (apesar de eu saber que sim, Beyoncé merecia uma categoria só pra ela, né).


Adele: Porque não adianta, não importa se o seu ipod tá cheio de Katy Perry e Lady Gaga, um dia a vida vai te trollar e a vontade de ser feliz vai se escorrer pelo ralo. Aí, o melhor mesmo é parar, colocar Adele pra cantar e deixar aquela melancoliazinha tomar conta de você. Sabendo reconhecer que só vale porque ela é a artista mais incrível e talentosa da atualidade e que uma hora você vai ter que superar, tá tudo bem.

O que ouvir: Someone Like You, Turning Tables, Set Fire to the Rain

Se gostar do estilo de Adele, ouça também: Amy Winehouse


Lily Allen: Sabe aquela menina com a cara super bonitinha, jeito super fofinho, mas que, quando você olha de perto, de santa ela não tem nada? Então. No mundo da música, essa menina é a Lily Allen. Com sua voz fininha, ela faz estragos contando sobre como superou o caso com um namorado que não prestava, como ela odeia o fato de um cara não a fazer gozar ou simplesmente manda um fuck you pra todo mundo. Para aqueles momentos de irritação que infelizmente tem de ser contida, nada melhor que uma musiquinha fofa com uma letra destruidora.

O que ouvir: Smile, Not Fair, Fuck You.

Se gostar do estilo de Lily Allen, ouça também: Marina & the Diamonds


E, para mulheres realmente loucas que tem todos esses estados de espírito num mesmo dia, a dica é ouvir todas essas cantoras lindas mesmo! Você pode até deixar de lado o bom senso e a sensatez, mas pelo menos o bom gosto vai permanecer, né ;)