quinta-feira, 2 de agosto de 2012

O Call Me Maybe, as músicas chiclete e as one hit wonders

.
Música grude é assim: você pode até tentar fugir, você pode se concentrar ao máximo em outras coisas, você pode até falar que não conhece, não faz parte do seu menu musical (o que faria de você uma pessoa extremamente zzzzzz, né), mas não tem jeito. Quando você percebe, ai, ela te pegou (é, com trocadilho infame mesmo).

Daí nós, muito egoístas que somos, ficamos achando que músicas viciantes, que fazem um sucesso estrondoso, são um problema apenas nosso; que os artistas donos delas estão mais é felizes com a repercussão e nadando no dinheiro. O que não deixa de ser verdade, mas será que eles também não são atormentados por dúvidas existenciais, do tipo "será que eu vou conseguir emplacar outras músicas ou será que esse será meu único hit ?"?

Eu tenho certeza que sim. Um dos casos que eu tô super curiosa pra ver no que vai dar é o da cantora Carly Rae Jepsen e sua incrível "Call Me Maybe". Vou confessar que adoro essa música, é meu guilty pleasure máximo do momento - mesmo quando eu acho que já tô de saco cheio, é só começar o "I threw a wish in the well" que eu já me empolgo, desculpa sociedade. Mas "Call Me Maybe" é um hit tão grande, um meme tão grande, que a gente se pergunta se Carly vai conseguir se superar e mostrar a que veio ou se vai ser soterrada por ele.

Não tem como saber ainda, né, mas eu pensei aqui em outros casos de cantoras com grandes hits na carreira. Umas se deram bem e continuam aí até hoje, outras marcaram seu nome na lista dos "one hit wonders". Lembra delas?

Natalie Imbruglia - Torn



O pior de falar da Natalie Imbruglia é que o hit nem é dela. E ter como único sucesso da sua vida uma música que nem é sua, é um cover, deve ser muito #fail, coitada. A música em questão é "Torn", que é até um popzinho bem decente. Mas eu tenho a impressão que a minha relação com "Torn" é metaforicamente a mesma que o resto do mundo teve com a Natalie: ouvia de vez em quando na rádio, um dia baixei, ouvi mais umas 3, 4 vezes e deixei de lado.

Toni Basil - Mickey

Eu juro que nunca saberia o nome dessa cantora se não tivesse pesquisado pra fazer esse post. É a melhor prova de como o hit pode ser maior do que sua criadora. Você certamente já deve ter ouvido por aí uma certa música grude que é mais ou menos assim: "oh Mickey you're so fine, you're so fine you blow my mind, HEY MICKEY". Pois é, com uma música chiclete nesse nível absurdo, Toni Basil não conseguiu emplacar mais nada na carreira.

Vanessa Carlton - A Thousand Miles





Eu adoro a Vanessa Carlton, acho que ela é uma cantora ótima, com várias músicas que eu amo - tipo Pretty Baby, Nolita Fairytale, The One. Mas não tem como negar que hit meeesmo, ela só teve um. Acho que, numa base bem radical de 10 entre 10 pessoas (me incluo nessa), sempre que se ouve o nome dela a primeira coisa que vem à cabeça é A Thousand Miles. Não tem jeito, a música vai perseguir a coitada pro resto da vida.

E as que deram certo...

Katy Perry - I Kissed a Girl

Eu lembro que achei a Katy Perry péssima quando "I Kissed a Girl" estourou. Cantora com voz ruim, música claramente apelativa pra dar uma agilidade na publicidade dela. Mas no fim gostei muito das outras músicas e hoje sou fã da Katy. Quer dizer, é complicado ir muito longe um hit só. Artista pop de verdade tem que estar sempre oferecendo coisas novas sem deixar cair o nível.

Britney - Baby One More Time





Vai ver a Britney conseguiu passar da fase Baby One More Time não só porque lançou outros hits bons e grudentos também (tipo Overprotected, I'm Not a Girl Not Yet a Woman), mas porque ela soube se reinventar, ter fases diferentes, ou seja, oferecer entretenimento pro povo. Ficadica (ou não).

Rihanna - Umbrella

Quem não ficou irritado com o tanto de vezes que teve que ouvir "Under my umbrella-ella-ella ê ê ê" lá em 2007 já pode se considerar possuidor de uma paciência divina, porque olha, isso aí tocou à exaustão. Mas o que Rihanna soube fazer, além de estar sempre com uma música nova na manga, foi se manter sempre em evidência, seja com um look novo ou alguma polêmicazinha qualquer.

Mas e a Carly do Call Me Maybe, o que será dela? Já tem música nova rolando, em parceria com o cara do Owl City - um sonzinho bem pop, sem muito conteúdo, aquela coisa pra tocar na rádio e te deixar alegre por 3 minutos. Resta saber se a gente vai ter ânimo pra continuar ouvindo ou se nossas atenções vão se dispersar pro próximo guilty pleasure que aparecer.

Um comentário:

  1. Passei anos e anos da minha vida querendo saber qual e de quem era essa música que hoje descobri ser Torn!

    ResponderExcluir